29 abril 2011

Bife à Vienense com Puré de Batata Doce e um Desabafo

Hoje sentia-me demasiado deprimida e triste com o mundo, que nem era para ter cá vindo. Situações que nos deparamos diariamente. A indiferença das pessoas, a frieza, a falta de espírito de entreajuda e a falta de sensibilidade. Como é que é possível? No Metro de Lisboa uma senhora idosa aflita, que bem poderia ser a minha querida mãe, e só de imaginar que um dia ela pudesse passar alguma situação idêntica doeu-me a alma de tal forma que ainda não me recompus. Estava muito nervosa e aflita e precisava ajuda monetária para voltar para a Marinha Grande. Foi o que eu ouvi quando passei por ela. E estava a pedir ajuda a outra idosa que lhe respondeu logo: não tenho moedas! Eu ouvi aquilo e fiquei chateada, por não ter sido a mim feita a mesma pergunta, talvez por ter um ar de menina, ir de headfones nos ouvidos e parecer que ainda vivo na casa dos pais, realmente não sei. Voltei para trás e perguntei se ela estava aflita e o que precisava, a senhora estava tão nervosa e chorosa que não me pareceu que fosse gastar o dinheiro na droga ou fosse beber uns copos. As coisas sentem-se, a verdade sente-se, a verdade repõe-se. Dei-lhe 5 euros e perguntei se ela sabia ir tirar os bilhetes e desenrascar-se, ela respondeu chorosa que sim. Não fiz mais perguntas, não questionei nada! 5 euros fazem-me falta, hoje não tomei o pequeno almoço fora, nem vou lanchar, nem vou por o euromilhões, nem vou tentar a sorte com uma raspadinha. Mas o que é isso ao pé da felicidade que sinto em ajudar o próximo? Parece-me bem que esse foi o meu euromilhões de hoje. Desculpem o desabafo… Foi apenas um pequeno exemplo de situações que vejo todos os dias e nem todas envolvem ajudas monetárias.

Já volto para descrever a receita.

Um pouco mais recomposta destes estados emocionais que nos levam ao limite, segue então a receita que tentarei resumir, já basta a seca que apanharam hoje com este “post”.

Ingredientes para 2 pessoas:

Para os bifes:
- 2 bifes do lombo de vaca (usei 4 pequenos)
- 1 cebola pequena
- 50g de margarina (+-)
- 1 colher de chá de vinagre de vinho (usei tinto, a receita original não dizia)
- sal
- pimenta branca
- colorau (pimentão doce)
- farinha

Para o puré:
- 500g batata doce
- 1 maçã (usei granny)
- 1 colher de sopa de manteiga
- sal

Confecção:

Tempera-se os bifes de sal, pimenta, polvilha-se com o colorau espalhando bem com os dedos e de seguida com farinha fazendo o mesmo. Viram-se e repete-se a operação. Numa frigideira com a margarina (ou azeite), fritar os bifes a gosto, eu gosto mal passado. Retiram-se e reservam-se. No próprio molho aloura-se a cebola às rodelas bem finas até estarem quase caramelizadas e acrescenta-se o vinagre.
Coze-se a batata-doce e tritura-se muito bem até ficar cremosa e acrescenta-se a maçã crua cortada aos bocados e tritura-se novamente. Volta-se a colocar no tacho, tempera-se com sal. A manteiga é posta fria. Foi o que apanhei de um programa na televisão.
E depois emprata-se como se vê na foto. Sempre que queiram que o molho fique mais atractivo é passarem pelo coador. Desta vez não fiz. Mas fica sempre mais mimoso no prato.

Bifes: “Livro de receitas de carne – Vaqueiro”
Puré: “Receitas Ibéricas – Alter Genéricos 1 Volume” (alterei a receita original)


28 abril 2011

Tarte de Iogurte com Maçã

Seguindo a sugestão do Blogue da Mariana, que por sua vez também seguiu do Blogue da Sarinha, decidi pôr de lado os meus medos de fazer bolos e afins e dedicar o fim de tarde de ontem à confecção desta tarte. Tudo parecia correr bem. A massa crua estava de morrer, pus as maçãs direitinhas, estava um mimo, até que tive uma brilhante ideia, que foi usar a minha tarteira nova de fundo removível. E a partir daqui não vou contar mais nada. Foi o caos! Mas consegui salvar uma vida! A vida da minha tarte, a minha primeira tarte que não saiu queimada! Ficou baixota eu sei... Havia massa por toda a cozinha... Mas ficou boa, mesmo boa!

Alterei a quantidade de açúcar, a fruta e o aroma do iogurte, simplesmente para aproveitar o que já tinha em casa.

Ingredientes:
- 150g de açúcar
- 100g de farinha
- 50g de margarina
- 3 iogurtes gregos naturais açucarados
- 2 ovos
- 2 maçãs verdes médias (usei granny)


Confecção:

"Bater" bem todos os ingredientes, exceptuando as maçãs, dando o conselho do que sempre ouvi dizer, que os ingredientes têm de estar todos à temperatura ambiente. Untar a forma com margarina e polvilhar com farinha. Cortar as maçãs em quartos e depois às fatias e colocar por cima da massa. Vai ao forno pré-aquecido a 180º, 40 minutos. E fiquem de olho. Experimentem, ponham a vosso gosto o açúcar, as frutas e os aromas do iogurtes! E nada de usar tarteiras removíveis, para tonta já bastei eu!

27 abril 2011

Ovos Escalfados com Molho de Cogumelos

E que tal um jantar leve?

Ingredientes para 2 pessoas:

- 2 fatias de pão de forma
- 2 fatias de fiambre
- 2 ovos
- 1 cebola pequena
- 1/2 lata de cogumelos laminados (das mais pequenas 185g)
- 1 colher de chá de polpa de tomate
- 1/2 copo de água
- 1/2 copo de vinho branco
- 1 colher de chá de salsa picada
- sal
- pimenta
- azeite

Confecção:

Esta receita foi inspirada no "Livro de receitas básicas - Vaqueiro", embora tenha alterado algumas coisas simplesmente para ficar mais "light".
Refoga-se no azeite a cebola bem picada, depois junta-se os cogumelos e deixa-se cozinhar em lume brando. Acrescenta-se o vinho e cozinha-se até desaparecer todo o alcóol. Vai-se acrescentando a água. Depois tritura-se tudo com a varinha mágica, e se for necessário depois por um passador. Volta-se a colocar na caçarola juntamente com a salsa e a polpa de tomate, tempera-se de sal e pimenta e aquece-se mais um pouco para envolver estes últimos temperos. Os ovos são escalfados em água a ferver com um pouco de sal, aproximadamente 3 a 4 minutos e com a ajuda de uma faca apara-se as claras para ficarem com uma forma mais regular. O pão foi torrado e depois pincelado com azeite. Por fim emprata-se. O pão, a fatia de fiambre, o ovo e o molho por cima.

"Na receita original, o molho além de não ser triturado é passado pelo coador, e engrossa levando farinha. Leva caldo de carne e natas. E as fatias de pão são fritas em margarina."

26 abril 2011

Tarte de Espinafres com Bacon




Tenho uma tarteira nova e sim, estou muito vaidosa com as novas "tralhas" que comprei por estes dias no IKEA de Alfragide. É de se perder a cabeça. Ainda estou para ver o que vou fazer com o saco de pasteleiro. E para estrear a minha tarteira de fundo removível, nem sei se é assim que se chama, pensei em fazer uma tarte. Antes de ter esta "coisa" nova chamava-lhe quiche. Nunca fiz de outra forma sem ser esta, que me foi dada via telefone pela minha irmã Mariana à uns quantos anos atrás, a única coisa que difere é o bacon. Ressalvo ainda que depois da foto, enchi o prato de salada e quilos de folhas de manjericão que adoro!

Ingredientes:

- 1 base de massa quebrada (de compra)
- 200 g espinafres picados (congelados)
- 1 pacote de natas
- 100g queijo S. Jorge ralado na altura
- 5 fatias finas de bacon
- 1 ovo
- pimenta moída na altura

Confecção:

Estende-se a massa na tarteira, préviamente descongelada e com a própria folha vegetal , pica-se com o garfo. À parte bate-se o ovo, rala-se o queijo e acrescenta-se os espinafres já descongelados e escorridos e pimenta a gosto, envolve-se bem e deita-se esta mistura na tarteira. Por cima o bacon cortanto às tirinhas. Vai ao forno pré-aquecido a 180º, aproximadamente 30 minutos. Acompanhei com tomate cereja e folhas de manjericão, temperados com um vinagrete de sal, azeite e vinagre de vinho tinto, como sempre com a técnica do frasquinho.

23 abril 2011

Bifes Enrolados à Italiana

A folha de salva tem realmente um aspecto estranho, tive quase para desistir da ideia, mas quando a provei não achei um bicho de sete cabeças. Parece uma mistura de hortelã com louro e mais qualquer coisa que não sei explicar...

Ingredientes para 2 pessoas:

- 2 bifes de vaca finos (acém ou vazia)
- 2 fatias de presunto
- 2 fatias de queijo mozarella (podem usar ralado)
- 1/2 copo de vinho branco seco
- 40g margarina
- sal

Confecção:

Muito simples, dispor sobre os bifes, o presunto, a mozarella, a folha de salva, enrolar e prender com um palito, temperar com sal.
Aquecer a margarina, dourar os bifes primeiro, colocar o vinho, tapar e cozer aproximadamente 30 minutos em lume brando. Acompanhado com uma salada de tomate.

Inspirado no "Livro de receitas de carne Vaqueiro"

21 abril 2011

"A Minha Cozinha, A Minha Receita"

Segue a minha participação para o passatempo A Minha Cozinha A Minha Receita, proposto pelo blogue Na Cozinha da Mariana. Boa Sorte a todas!

















Este recantinho é o meu favorito, onde o meu piolho coloca com orgulho os desenhos que vai fazendo. Os primos seguem-lhe as pisadas e também têm  o seu espaço reservado. Mais frigorífico houvesse, mais desenhos faziam.



Em relação à receita da minha vida, bem este post que já tinha sido colocado, veio mesmo a calhar, pois apesar de correr o risco de ser desclassificada atrevo-me a quebrar as regras e apresentar uma sopa. Esta é a sopa da minha vida por uma simples razão. Ter um filho de 5 anos que a trata pelo nome e a come como se fosse a melhor sopa do mundo.

Sopa da Janeca



Para 3 pessoas e vários dias:

- 500 g de entrecosto
- 2 batatas médias
- 3 cenouras médias
- 300 g de abóbora
- 1 alho francês pequeno
- 2 courgette médias
- 2 tomates maduros
- espinafres picados
- 1 mão cheia de massa cotovelos
- 1 lata de grão cozido
- salsa
- coentros
- 5 colheres sopa de polpa tomate
- 1 colher chá pimentão doce
- 1 folha de louro
- sal
- azeite

Confecção:

Numa panela de pressão coze-se o entrecosto juntamente com o tomate,  a salsa, os coentros tudo picadinho, a folha de louro, o pimentão doce, sal e um fio de azeite.
Depois de cozido o entrecosto desfia-se e na água da cozedura junta-se o alho francês (a parte branca) bem picadinho e antes de começar a ferver todos os restantes legumes aos cubinhos e a polpa de tomate.
Após levantar fervura coloca-se a massa de cotovelos e por fim a carne desfiada e a lata de grão.

20 abril 2011

Salada César

Quando ainda era bom ir à "Feira do Livro de Lisboa", comprei uma série de livrinhos de culinária, que leio e releio há quase 10 anos. Por falta de inspiração nestes dias lá fui ao livrinho das saladas. A receita está feita tal e qual, tirando as quantidades e a forma como a descrevo. Espero que gostem.

Ingredientes para 2 pessoas:

- 1 dente de alho
- 4 colheres de sopa de azeite
- 1 fatia de pão de forma sem côdea
- 2 fatias de bacon
- 1 alface pequena
- 1 colher de chá de sumo de limão
- 1 colher de sopa de natas
- 1 colher de chá de molho Worcestershire
- 6 anchovas
- 50g (+ -) de queijo parmesão

Confecção:

Num frasquinho pequeno, coloca-se o azeite e o alho esmagado e deixa-se uns 10 minutos para o azeite ganhar sabor. Aquece-se préviamente o forno a 180º. Retira-se o alho do frasco e com a ajuda de um pincel unta-se o pão de forma com o azeite e corta-se aos cubinhos. Vão ao forno durante 10 minutos ou até que estejam dourados. Deixa-se arrefecer. Frita-se o bacon cortado em juliana até alourarem.
Entretanto prepara-se o molho, acrescentando ao frasco que já tinha o azeite, o limão, o molho Worcestershire e as natas, tapa-se e agita-se bem.
Para empratar é só colocar a alface já bem lavada e escorrida (usei as folhas inteiras e mais pequenas), num prato fundo e tempera-se com o molho. Depois é dispor os cubinhos do pão, o bacon, as anchovas cortadas ao meio e o queijo parmesão em fatias finas. Não leva sal porque o queijo e as anchovas fazem a sua devida parte. É um bom contraste para quem gosta de saladas.

19 abril 2011

O Blogue da Daniela


http://www.coisasmimeticas.blogspot.com/

Recebi um pedido para divulgar este blogue. Acho que não poderei recusar nunca estes pedidos. Temos de ser uns para os outros, ajudarmo-nos mútuamente e respeitarmos o trabalho de cada um. Já dei uma espreitadela e pareceu-me muito bem. Não tem a ver com culinária, mas certamente tem a ver com todas as mulheres. Portanto toca a visitar o Blogue da Daniela.

Mil Folhas de Marmelada

Uma sobremesa, um miminho, uma carência...

Ingredientes para 2 pessoas:

- 8 fatias de marmelada (rectângulos não muito grandes)
- 1 queijo fresco
- 100g de queijo creme (tipo Filadélfia)
- 3 colheres de sopa de doce de framboesas

Confecção:

Mistura-se o queijo fresco com o queijo creme de forma a ficar uma massa muito cremosa, não se adiciona açúcar para contrastar com a marmelada. Depois é só fazer camadas e acabar no queijo e cobrir com o doce de framboesa, que neste caso foi de compra. Caso o doce esteja demasiado consistente basta coloca-lo numa caçarola com uma colher de sopa de água e aquecer um pouco, deixar arrefecer. Pode-se decorar com framboesas frescas e folhas de hortelã.


18 abril 2011

Bacalhau com Presunto

Mais uma das mil e uma forma de comer bacalhau, tirada de uma livro de "Cozinha Regional Portuguesa".

Ingredientes para 4 pessoas:

- 3 postas grandes de bacalhau
- 6 batatas médias
- 150g de presunto
- 3 ovos
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- pão ralado
- pimenta
- azeite

Confecção:

Coze-se o bacalhau com as batatas.  Entretanto faz-se um refogado com o  azeite (+- 5 colheres de sopa), cebola e os alhos picados. Quando a cebola ficar translúcida junta-se o presunto às tirinhas e refoga-se mais um pouco. Depois envolve-se tudo com o bacalhau, já livre de pele e espinhas, às lascas e as batatas grosseiramente esmagadas com um garfo, tempera-se com pimenta branca moida na altura. Espalha-se a mistura num pirex untado com azeite e rega-se com os ovos batidos, polvilha-se com bastante pão ralado. Vai ao forno uns 15 minutos para gratinar. Acompanha-se com uma salada de alface. Não usei sal  propositadamente.


14 abril 2011

Massada Cremosa de Maruca

Este era o típico prato que fazia quando o meu "pilinhas" ainda imbirrava com cenouras, cebolas e companhia. E ontem apeteceu-me matar saudades...

Ingredientes para 4 pessoas:

- 4 medalhões de maruca
-200 g cotovelos riscados
- 150 g miolo de camarão pequeno
- 150 g de ervilhas
- 2 cenouras
- 1 cebola
- 1 tomate
- 1/4 pimento vermelho
- 1 dente de alho
- 4 copos de água
- 1/2 copo vinho branco
- 2 colheres sopa polpa de tomate
- 1 colher de chá de coentros em pó
- 1 colher de chá de sal grosso
- azeite q.b.
- pimenta q.b.

Confecção:

Num tacho com o azeite refoga-se a cebola, o alho, o pimento, o tomate livre de pele e sementes e as cenouras, tudo cortado sem grande preceito. Acrescenta-se o vinho e 1 copo de água e tapa-se para ficar a cozer. Retira-se do tacho e tritura-se tudo com a varinha mágica. Volta-se a colocar no tacho, acrescenta-se o resto da água e os restantes temperos, os coentros, a polpa de tomate e o sal e deixa-se levantar fervura. Coloca-se a massa, o peixe, os camarões e as ervilhas. Deixa-se ferver uns 15 minutos. Decora-se com coentros ou manjericão.

12 abril 2011

Feijoada de Entrecosto

Eu sei, eu sei, não está tempo para estas comidas pesadas...  Mas depois de ir no Domingo com a criançada ao cinema, ver um filme de animação que vivamente recomendo (HOP), há que preparar qualquer coisa rápida e bem calórica.

Ingredientes para 6 pessoas:

- 1kg de entrecosto
- 1 chouriço de carne
- 1 farinheira
- 3 latas (pequenas) de feijão encarnado já cozido
- 2 couves coração
- 2 cenouras
- 2 tomates maduros
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 1 folha de louro
- 4 colheres de sopa de polpa de tomate
- 1 colher de chá de massa pimentão
- 2 colheres de sopa de coentros picados
- 1 colher de chá de sal
- pimenta q.b.
- azeite q.b

Confecção:

O modo como fiz foi apenas para ganhar tempo. Poderão fazer tudo no mesmo tacho e calmamente. Coze-se o entrecosto na panela de pressão após levantar fervura uns 15 minutos. Num tacho à parte com o azeite, o louro e o chouriço às rodelas refoga-se a cebola, o alho e o tomate tudo picadinho. Acrescenta-se a couve já cortada aos cubos, as cenouras às rodelas e um pouco de água, sensivelmente um copo e meio. Quando começar a ferver, coloca-se os restantes temperos, os coentros, a polpa de tomate, o sal, a pimenta e a massa de pimentão. Entretanto acrescenta-se o entrecosto já cozido e a farinheira inteira. Apura-se mais 15 minutos. Por fim acrescenta-se o feijão  cozido (passo sempre por água), corta-se a farinheira às rodelas e já está. Muito rápido.


11 abril 2011

Empadas de Morango

Bem, isto foi mais uma brincadeira do que outra coisa qualquer. Portanto sugiro que antes de o fazerem, levem esta receita para o vosso laboratório pessoal e investiguem. Aquilo que eu vos digo, e até porque não sou nada esquisita, é que se não as comesse depressa, iriam ficar assim... pegajosas... Mas estavam boas!

Ingredientes para 3 empadas:

- 1/2 base de massa folhada que me sobrou da receita anterior.
- 1 clara
- 3 colheres de açúcar mascavado
- 1 colher de café de essência de baunilha
- 3 morangos para triturar e mais outros para decorar

Confecção:

Estende-se a massa à temperatura ambiente. Faz-se 3 círculos com a ajuda de um copo, de maneira que cubram toda a forma (formas de inox). Corta-se o papel vegetal à volta dos círculos e cobre-se as forminhas. Faz-se vários furos na massa com um garfo. À parte bate-se a clara de ovo em castelo e vai-se adicionando o açúcar. Por fim mistura-se os morangos bem triturados e a essência de baunilha e enche-se as formas. Vão ao forno pré-aquecido a 180º aproximadamente 25 minutos. Decora-se com morangos.

07 abril 2011

Tarteletes Mediterrânicas

Para participar no meu 1º passatempo proposto pela http://cozinheiradatreta.blogspot.com/, sugiro estes pequenos mimos, fáceis de fazer e de sabor acentuado. Servem de entrada ou um pequeno snack para acompanhar uma bebida fresca.

Ingredientes para 7 tarteletes:

- 1/2 base de massa folhada fresca (de compra)
- 7 colheres de café de orégãos
- 7 colheres de chá de queijo da ilha curado ralado
- 1 tomate chucha
- 1 dente de alho pequeno
- azeite q.b.
- folhas de manjericão

Confecção:

Desenrola-se a massa, que foi préviamente posta à temperatura ambiente. Com a ajuda de um copo faz-se os círculos. Colocam-se num tabuleiro já com papel vegetal por baixo. Faz-se pequenos furos na massa com o garfo. Pica-se o alho o mais pequeno possível e distribui-se.  Por cima o queijo da ilha,  os orégãos e umas gotas de azeite. Corta-se o tomate às rodelas e divide-se. Por fim mais um fiozinho de azeite em cada uma. Vão ao forno, préviamente aquecido, a 180º, aproximadamente 20 minutos. Decora-se com folhas de manjericão.

Salada de Frango

Apetecia-me dar-lhe um nome mais especial, até porque é difícil fazer muito com pouco e nada fácil fazer pouco com muito. Trocadilhos à parte...

Ingredientes:

- 1 peito de frango assado (ou outras partes de sobras)
- 1 mão cheia de agrião
- 7/8 folhas de alface
- 1 cenoura média
- 1 cebola pequena
- 1 laranja
- algumas folhas manjericão

Confecção:

Penso que posso dispensar o modo de confecção, pois está à vista. Acrescento que foi temperada com um vinagrete de azeite, sal grosso e vinagre balsâmico. E por mim que não estou de dieta, acrescentaria queijo feta com fartura e o molho seria de cocktail.

06 abril 2011

Pato com Laranja e Mel

Depois da proeza de conseguir comer os bichinhos de estimação dos meus tios (achava eu que eram de estimação), resolvi alterar a forma de faze-lo aproveitando umas ideias duma receita que costumo fazer com as coxas de frango com laranja e mel. Confesso que apesar de estar saboroso, o arroz de pato ainda tem o seu lugar priviligiado.

Para 2 pessoas:

- 2 peitos de pato
- sumo de 2 laranjas
- 1/2 copo de vinho branco
- 1 colher de sopa de mel
- 6 colheres de sopa de água
- sal q.b.
- margarina q.b

Confecção:

Tempera-se o pato com sal (eu só uso sal grosso em casa). Derrete-se a margarina e frita-se o pato em  lume médio até alourar e reserva-se. Num tacho à parte coloca-se o mel com a água e mexe-se até se misturarem, acrescenta-se o sumo de laranja, deixa-se ferver uns minutos, coloca-se o vinho e uns 5 minutos depois o pato. Deixa-se cozinhar 15 m aproximadamente. Acompanha-se com laranja e arroz branco.

05 abril 2011

Qual é o Teu Prato Preferido?

Há dias fizeram-me uma pergunta pertinente, à qual eu não soube responder. Qual é o teu prato preferido? Dei por mim hoje a pensar nisto, “coisa” esta que me tem incomodado bastante, é como se faltasse um pedaço da minha essência, porque toda a gente tem que ter um prato preferido. Analisei a minha memória até à exactidão dos pormenores. Pois é, perdeu-se aqui qualquer coisa em mim. Lembro-me de pequena ir com a minha mãe à padaria da D.ª Florinda buscar as carcaças estaladiças que tanto adorava com mortadela. Lembro-me do bolo de arroz ser a cabeça de cartaz das minhas preferências, depois o pastel de feijão, seguido do palmier simples, embrulhados em papel tipo sebenta, que depois era reaproveitado para absorver o óleo dos fritos. O esparguete à bolonhesa e o bacalhau à brás acompanharam-me até à idade adulta, tal como os carapaus fritos com molho de escabeche e as sardinhas assadas acamadas numa bela fatia de pão alentejano e salada de pimentos. Até aqui tudo corria bem. E agora? Qual é o meu prato favorito? Não vos sei responder. Talvez tenha estado demasiado entretida a cozinhar para os outros… Acho que me esqueci de mim. Por amor já aprendi a fazer e a comer pato e favas, mas cheguei a este ponto de não saber responder a uma simples pergunta… Isto está a incomodar-me, e por estes dias vou ter de saber a resposta. Nunca fui de deixar nada por dizer a ninguém, todas as perguntas que me fizeram ao longo da vida foram honestamente respondidas. Por isso, parto hoje em missão, em busca deste pedaço de mim que me está a faltar.

04 abril 2011

Tarte de Limão

Nunca tive muito jeito para fazer bolos e tartes, possivelmente pelo facto de não ser muito gulosa, mas se há doces que faço na perfeição e nunca me correm mal, este é um deles. Fi-lo para festejar os 58 anos de uma amiga muito especial que “me tomou” como sua grande amiga.

Para 6 pessoas:

- 1,5 pacote de bolachas Maria
- 1 lata de leite condensado
- 3 ovos
- 1 limão
- 130g de manteiga vegetal
- 3 colheres de açúcar

Confecção:

Tritura-se a bolacha na “123”, mistura-se com a manteiga derretida já arrefecida até se fazer uma massa e forra-se a forma. Bate-se as gemas com o leite condensado e o sumo de limão e cobre-se a massa da bolacha, vai ao forno a 200º durante uns 15 minutos. Entretanto bate-se as claras até ficarem em espuma e acrescenta-se o açúcar e continua-se a bater até ficar em merengue. Reduz-se o forno para 180º, espalha-se o merengue e vai ao forno na parte de cima uns minutos até alourar. Enfeita-se com raspas de limão.

Esta tarte dá para 6 ou mais pessoas, depende da gulosice de cada um, mas há sempre a hipótese de acrescentarem mais ovos e bolacha e fazerem numa forma maior.

01 abril 2011

Arroz de Pato


Bem que  poderia chamar-se Arroz de Pato "À Preguiçosa", mas o que é certo é que a simplicidade das coisas marcam a diferença. Para quê estragar um arroz de pato, quando  por si só o pato já é bom. Não há cebolas, alhos, azeite, refogados e outras complicações.

Para 6/8 pessoas:
- 1 pato com os miúdos
- 350g de arroz agulha extra branqueado (+- 1 almoçadeira)
- 3 "almoçadeiras" caldo do pato
- 1 fatia de bacon com 1,5cm de espessura
- 1 chouriço de carne (usei 1 tradicional da guarda)
- 1 colher de chá de sal

Confecção:
Coze-se o pato numa panela de pressão, quando levantar fervura, baixa-se o lume e coze mais uns 15m. Mesmo que não fique bem cozido à primeira, podemos sempre voltar a po-lo na panela de pressão. Desfia-se e corta-se aos cubinhos os "miúdos" também (fígado, coração e moelas), reserva-se. Num tacho à parte, é só colocar o caldo da cozedura do pato, convém passar num coador, o bacon  e metade do chouriço aos cubinhos, ligar o lume e colocar o arroz e o pato (sempre coze mais um pouco e fica mais macio), quando começar a ferver, baixa-se o lume e mais uns 10m sensivelmente estará cozido.
Depois  numa travessa apropriada coloca-se e efeita-se com o restante chouriço às rodelas e vai ao forno a 180º aproximadamente 20m. Quem gosta do arroz mais estaladiço, deixa-se mais tempo.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...