30 outubro 2012

Conchas Recheadas Com Frango E Molho De Abóbora E Laranja

É bom  rechearmos a nossa vida com tudo o que temos direito. É trabalhoso mas compensador.
Para participar no passatempo da Laranjinha do Blogue "Cinco Quartos De Laranja" em parceria com a Milaneza, decidi-me pela massa que mais gosto. Esbocei a receita no papel enquanto seguia no autocarro no meu caminho habitual. Analisei ao pormenor todos os ingredientes. Atrevi-me pelos sabores improváveis. Espantei-me pela delicadeza do conjunto. Não me arrependo. Valeu cada minuto que perdi a rechear cada concha cuidadosamente, como se toda a travessa fosse maquilhada para ser fotografada.
Acho que posso considera-la de fácil preparação, quando tive mais de o dobro do prazer a saborear esta massa.

Ingredientes para 4 pessoas:
- 250g de de conchas gigantes Milaneza
- 2 peitos de frango 
- 1 chalota 
- 1 cenoura 
- 130g de bacon 
- 50g de rúcula selvagem
- Raspa e sumo de 1 limão 
- 1 colher de sopa de queijo ralado da ilha
- sal grosso
- pimenta branca
- azeite

Para o molho:
- 200g de abóbora bolina 
- Raspa e sumo de 1 laranja
- 1 chalota picada
- 200ml de água
- sal grosso
- azeite

Preparação:
Corta-se o frango em cubos pequenos. Tempera-se de sal, pimenta, raspa e sumo de um limão.
À parte coze-se a massa em água fervente temperada de sal. Escorre-se e reserva-se. 
Numa frigideira quente e com um fio de azeite, coloca-se o bacon em tiras pequenas até ficar crocante. Retira-se, deixa-se em papel absorvente e reserva-se. Na mesma frigideira, com mais um fio de azeite refoga-se ligeiramente a chalota picada. Acrescenta-se o frango e deixa-se em lume moderado até estar cozinhado. Coloca-se a cenoura cortada aos cubos pequenos. Envolve-se mais uns minutos. Apaga-se o lume e acrescenta-se a rúcula envolvendo-a bem. Recheia-se as conchas com este preparado e coloca-se numa travessa de ir ao forno untada com azeite. Polvilha-se com queijo ralado. Tapa-se com folha de alumínio e vai ao forno pré-aquecido a 180º sensivelmente 20 minutos.
Entretanto na mesma frigideira coloca-se novamente mais um fio de azeite e salteia-se a chalota picada. Acrescenta-se a abóbora cortada aos cubos pequenos, a raspa e o sumo de uma laranja. Deixa-se até estar cozida. Tempera-se de sal. Coloca-se na liquificadora com 200ml de água quente e tritura-se até ficar bem cremoso. Serve-se as conchas acompanhadas com o molho. Bom apetite!

28 outubro 2012

Tá bonito tá.

Mais de 100.700 já passaram por aqui. Tá bonito! Espero que "isto" não se torne muito sério. Pois que eu quero continuar a escrever o que me vem à cabeça sem rectificar o que quer que seja, para usar o politicamente correcto.
A minha conta bancária a descer e os seguidores a subir. Vocês estragam-me com mimos. 

Caldeirada à Victor Gaspar

Podem-nos encher de impostos e taxas. Podem aumentar tudo e mais alguma coisa. Mas não me tiram a vontade de cozinhar uma caldeirada. Mesmo simples, quase em jeito "fast food" de caldeirada, matei saudades dos sabores que trouxe da minha infância. E se aqui se fez empadão à Victor Gaspar, eu também não me acanhei. Pode não ter a diversidade de uma boa caldeirada, mas o cheiro inconfundível  perdurou nas minhas narinas a noite toda, levando-me a memórias tão boas, como os fins-de-semana rodeada pelos meus irmãos com a simplicidades da vida levada com amor.

Ingredientes:
- peixe (usei medalhões de maruca)
- batatas às rodelas
- coentros picados grosseiramente
- salsa picada grosseiramente
- cebola às rodelas
- folha de louro
- tomate pelado (usei entalado e fresco)
- sal grosso
- pimenta branca
- azeite 
- água

Preparação:
Num tacho grande coloca-se a cebola, os coentros, a salsa, a folha de louro e algum do tomate cortado grosseiramente. Acrescenta-se as batatas. Coloca-se o restante tomate e o peixe por cima. Tempera-se de sal e pimenta. Rega-se com um fio de azeite. Acrescenta-se meio copo de água. Tapa-se e deixa-se cozinhar em lume moderado. Não se mexe, apenas vai-se abanando o tacho para o molho ir cobrindo tudo. Bjs a todas/os. 

Nota: Pode-se acrescentar pimento, alho e todo o tipo de peixe.

25 outubro 2012

Que grande massada pá! Esqueci-me...

Hoje parece que é o dia Mundial das Massas. E eu sem receitas para apresentar. Ainda por cima ontem jantei massa. Shame on you Carla! Shame on you! Passa-me tudo ao lado. É por ser Aquário... 

Se pudesse alcunhar os meus companheiros de casa com nomes de massas era canja... O "piolho encardido" seria o linguine, pois desde que me lembro que lhe chamo isso quando ele vem para a minha cozinha e eu digo-lhe: Linguine estás despedido! Fora, rua já da minha cozinha! (com sotaque francês), tal filme do Ratatui. O meu "mais que tudo" seria uma concha gigante, difícil de cozer, difícil de rechear, mas no fim, muito saboroso e recompensador do trabalho. The last, but not the least, eu. Eu seria os laços tricolores, pois comigo nunca se sabe. Um dia estou verde, outro amarelo, outro laranja, mas sempre com bom coração e pronta a servir.

Bjs do coração a todas/os que não se cansam de me mimar. Boas receitas de massas para todos.

24 outubro 2012

Eu Confesso #4

... que se apanhasse o seguidor que acabou de desistir de mim, sem sequer me dar hipótese de melhorar para poder continuar a agrada-lo, dava-lhe com uma courgette ou quem sabe um frango congelado. É que partiu o meu coração... Outra vez pá!

13 Receitas De Saladas

Eu bem sei que não está tempo para saladas, mas também vocês já deveriam de saber que eu não me rejo por regras temporais ou espaciais. E como o Sr. Blogger teima em não apresentar as minhas receitas antigas decidi trocar-lhe as voltas. Sempre que me apetecer irei remexer nos arquivos e matar saudades. Há receitas de saladas clássicas, quentes, coloridas, crocantes, para aproveitar sobras e algumas combinações à partida improváveis. Escolham a vossa. Bjs a todas/os e obrigada pelos selos que me enviaram.







21 outubro 2012

Molotof

Não há nada mais simples que fazer um molotof. Para mim é sempre uma boa solução para aproveitar as claras que sobram de uma receita ou outra. 

Ingredientes:
- 8 claras
- 8 colheres de sopa rasas de açúcar
- 2 colheres de sopa de caramelo líquido
- 1 colher de café de aroma de baunilha
- caramelo líquido (usei de compra) para untar a forma

Preparação:
Bate-se as claras em espuma e adiciona-se o açúcar pouco a pouco, o aroma de baunilha e o caramelo, até estarem em castelo, sem parar de bater. Unta-se generosamente a forma com o caramelo. Verte-se as claras e alisa-se um pouco a superfície. Coloca-se em banho-maria e vai ao forno pré-aquecido a 180º aproximadamente 8 minutos. Desliga-se o forno e abre-se a porta para ir arrefecendo. Retira-se quando estiver arrefecido, desenforma-se e vai ao frigorífico para refrescar. Bjs a todas/os.

15 outubro 2012

Pastéis De Nata Leves, Leves, Leves

Eu sei que devia estar à procura incessantemente de receitas de compotas sem açúcar, mas depois de averiguar que nenhum dos meus livros era portador de tal relíquia, fiquei, ora pois, com muitos nervos e este fim-de-semana foi uma desgraça. Quanto mais procurava, mais vontade tinha de fazer doces com açúcar. Aceito toda a ajuda possível para tal procura, a pedido de uma freguesa minha. Ajudam-me?
Para aliviar a minha consciência, usei a receita da Duxa, embora adaptada à minha realidade "sem bimby". Estes pastéis de nata ficaram tão leves que voaram num ápice. Receita a repetir e sem medos.

Ingredientes para 16 pastéis (quase minis):
- 1 rolo de massa folhada de compra (usei redonda)
- 500ml de leite magro
- 150g de açúcar amarelo
- 55g de farinha de trigo
- 5 gemas (ovos pequenos)
- 1 pau de canela
- casca de limão
- canela e açúcar em pó

Preparação:
Numa caçarola (fora do lume) coloca-se as gemas, o açúcar, o leite, a farinha, o pau de canela e o limão, mistura-se bem com a ajuda de uma vara de arames. Leva-se a lume brando e deixa-se levantar fervura, mexendo sempre para a farinha não coagular. Assim que levantar fervura retira-se do lume e deixa-se arrefecer. Enquanto arrefece, estende-se a massa na bancada polvilhada com farinha. Com a ajuda de um copo ou aro de cozinha faz-se círculos um pouco maiores que as formas. Coloca-se nas formas. Verte-se pequenas colheradas do creme sem chegar aos rebordos. Vai ao forno pré-aquecido a 200º aproximadamente 20 minutos. Deixa-se arrefecer um pouco e desenforma-se. Serve-se simples ou com  canela e açúcar em pó. Bjs a todas/os.

Nota: Fiz a experiência de não untar com margarina e polvilhar com farinha 8 formas. Cheguei à conclusão que para a próxima passo este passo à frente. Devido à gordura da massa folhada não será necessário. Mas façam também as vossas experiências e digam de sua justiça.

11 outubro 2012

Gelado De Baunilha


O "piolho encardido" pediu-me que vestisse o seu fiel amigo com roupa quentinha. Quase nem dormi bem, a pensar como iria satisfazer um pedido tão exigente para quem não tem mãos para a costura. Mãe que é mãe, sabe sempre como se desenvencilhar de todas as situações. Mãe que é mãe vai à luta e faz das tripas coração e arranja sempre uma solução. Meias velhas usadas, uma tesoura e muito amor. E o seu fiel amigo está pronto para enfrentar o frio. Ele voltou a fazer um pedido especial, gelado de baunilha. Mãe que é mãe complicada, não vai ao supermercado comprar um gelado qualquer de marca branca, e talvez desse menos trabalho e despesa. Mãe que é mãe faz o gelado em casa. O filho come deliciado, a mãe respira de alívio e pensa: Missão Cumprida.

Ingredientes:
- 550ml de leite
- 3 folhas de gelatina
- 6 gemas
- 170g de açúcar
- 1 vagem de baunilha
- 200ml de natas

Preparação:
Ferve-se o leite com a vagem de baunilha. Põe-se a demolhar em água fria as folhas de gelatina. À parte bate-se as gemas com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado. Retira-se a vagem de baunilha do leite e junta-se lentamente ao creme, mexendo sempre. Coze-se este creme em banho maria ou em lume muito brando e sem deixar ferver. Retira-se do lume e junta-se a gelatina previamente escorrida. Mexe-se até derreter. Depois de arrefecer adiciona-se as natas batidas. Verte-se para um tuperware e vai ao congelador aproximadamente 1 hora.  Bate-se e volta para o congelador até estar bem gelado. Serve-se com o vosso molho preferido. Eu sugiro caramelo. Bjs a todas/os.

09 outubro 2012

Esparguete À Puttanesca

Isto é um nome muito feio para se chamar ao esparguete, mas, é bom que se farta, além de ser um salva refeições. Assim em jeito de receita vegetariana a pedido de vários/as leitores/as... Serve? 

Ingredientes para 3 pessoas:
- 500g de esparguete
- 2 dentes de alho
- 1 lata de tomate pelado
- 1 lata de anchovas em conserva
- 1 colher de sopa de alcaparras 
- óregãos frescos
- manjericão fresco
- azeitonas pretas
- azeite

Preparação:
Coloca-se o esparguete a cozer em água fervente e temperada de sal. Num tacho à parte com um fio de azeite refoga-se ligeiramente os alhos picados. Acrescenta-se as anchovas, que irão derreter completamente, o tomate pelado picado, as alcaparras, as azeitonas sem o caroço e cortadas e os óregãos. Deixa-se apurar. Depois de cozido o esparguete, escorre-se e envolve-se no molho. Decora-se com folhas de manjericão e mais azeitonas a gosto. Serve-se quente. Bjs a todas/os



Eu Confesso #3

... que de certa forma sinto-me lisonjeada. As votações terminaram. São 14 votos preciosos e dentro da medida do razoável e das minhas circunstâncias tentarei dar o meu melhor.

P.S. Vocês mimam-me muito pá! Isto a propósito de ninguém ter escolhido as opções negativas que coloquei na lista de votos.


08 outubro 2012

Perna De Peru Com Alecrim

Este foi um fim-de-semana calmo. Fiz limpezas e matei saudades do meu porto de abrigo ao sabor de sardinhas alimadas e outros mimos que só naquele lugar tenho. Estes pequenos rasgos de memórias fazem vir ao de cima a pessoa tão solitária que me tornei, fruto de  uma longa caminhada a perceber a raiz de todas as coisas e outras tantas em que deixei de acreditar.
Ontem foi dia de assado. Um ritual tão das minhas memórias infantis. A lentidão com que assa, o cheiro pela casa, a fome a apertar, o pão estaladiço besuntado de molho e a simplicidade de uma mesa cheia de algo feito com o meu amor. Às vezes parece pouco, o que muito julgo ter dado.

Ingredientes:
- 1 perna de peru grande (usei só a coxa)
- 2 colheres de chá de massa de alho
- 2 colheres de chá de alecrim seco
- 2 folhas de louro
- sal 
- pimenta (moinho 5 pimentas)
- azeite
- margarina
- água quente

Preparação:
Tempera-se o peru de sal, pimenta, alho, alecrim e as folhas de louro partidas. Pode-se temperar no dia anterior e reservar no frigorífico. Num tacho grande coloca-se um fio de azeite e uma noz de margarina e sela-se a carne de ambos os lados. Coloca-se na travessa de ir ao forno e verte-se todo o suco que ficou no tacho. Mais um fio de azeite por cima e uma noz de margarina partida aos bocados. Tapa-se com papel de alumínio. Vai ao forno pré-aquecido a 200º, aproximadamente 1 hora e meia. Vai-se acrescentando água quente à medida que vai precisando de molho. A meio da cozedura retira-se o papel de alumínio para tostar a parte de cima, aproveitando para regar com o molho que se vai formando.  Deixa-se repousar uns minutos antes de trinchar a carne. Acompanhei com batatas que foram cozinhadas juntamente com a carne, mas colocadas a meio da cozedura. Bjs a todas/os.

03 outubro 2012

Amuei porque...

... era suposto ter pintado o cabelo da cor castanho claro acobreado, e fiquei com o cabelo quase preto beterraba. E se isto não é motivo para por qualquer mulher mal disposta, não sei... "Portantos" esta semana não há mais receitas para ninguém!

01 outubro 2012

Bacalhau Com Broa E Espinafres

Este fim-de-semana comi este mundo e o outro. O que vale é não ganhei nem um grama. Não se pode ter tudo, mas por enquanto continuo a ser detentora de um rápido metabolismo, até quando não sei. Entre pizzas caseiras, de toda a espécie e feitio, sopa de agrião, empadão de carne e feijoada de camarão da sogra, saladas, muitas sandes de queijo da ilha e para desenjoar este bacalhau que fica sempre bem em qualquer mesa. 

Ingredientes para 3 pessoas:
- 500g de bacalhau desfiado congelado
- 700g de batata (usei pequenas de conservação)
- 1 cebola grande
- 1 folha de louro
- 2 dentes de alho
- 1 mão cheia de folhas de espinafres (usei das embaladas já lavadas)
- 2 fatias de broa de milho
- azeite
- óleo vegetal para fritar

Preparação:
Cortei o bacalhau ainda um pouco congelado aos cubos, de forma a que ficasse mais uniforme. Pus num escorredor. Corta-se a cebola às rodelas finas e refoga-se num fio de azeite juntamente com a folha de louro. Acrescenta-se o alho picado e deixa-se alourar. Depois o bacalhau já descongelado e bem escorrido e deixa-se até estar cozido. À parte frita-se as batatas cortadas às rodelas em óleo vegetal bem quente e coloca-se em papel absorvente. Tritura-se no robot de cozinha 2 fatias de pão de milho. Por fim, num pirex coloca-se as batatas, os espinafres crús, o bacalhau, aproveitando todo o molho, e as migalhas da broa de milho. Rega-se com um fio de azeite e vai ao forno pré-aquecido a 180º até alourar. Serve-se quente e acompanhado com uma salada verde. Bjs a todas/os.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...