26 setembro 2014

Penne Com Anchovas, Camarão E Mascarpone

O "piolho encardido" por vezes, aliás, muitas vezes, brinda-me com os seu dotes humorísticos, irónicos e até sarcásticos. O raio do puto não sei a quem saiu, assim com este dom tão apurado de me fazer rir e até chorar, a rir, claro está. Eu já me tinha acostumado com aquela resposta que todos os maridos dão em casa, quando os questionamos, o que fazemos para o jantar. Pergunta-se, à espera que eles nos surpreendam com uma resposta para lá de supimpa, que nos faça logo ir para a cozinha resolver o problema, e eles respondem: - Faz qualquer coisa. A verdade é que já desisti do "mais-que-tudo" e passei a pergunta para o "piolho encardido". Ontem foi dia de perguntar o que eu devia fazer para o jantar, e ele respondeu todo decidido: - Faz aquele esparguete à badalhoca. - Esparguete à badalhoca? Perguntei eu. Ele respondeu: - Sim, aquele esparguete assim com ketchup...E assim fiquei a saber que aquele esparguete com polpa de tomate, azeite e várias ervas aromáticas, que faço para aqueles dias que falta o tempo e que acompanham qualquer coisa, chama-se esparguete à badalhoca. Enfim, espero não perder clientela agora que sabem que eu cozinho coisas tão, tão, tão insignificantes, como esparguete à badalhoca. A receita de hoje também é massa, presumo que um pouco mais refinada...

Ingredientes para 4 pessoas:
- 300g de massa penne
- 20 camarões grandes
- 1 dente de alho 
- 1 lata de anchovas
- 2 tomates pelados (usei em conserva)
- 1 embalagem de queijo mascarpone
- azeite q.b.
- sal q.b.
- pimenta q.b. (moinho 5 pimentas)
- salsa seca q.b.

Preparação:
Cozer os camarões em água temperada de sal. Escorrer, retirar a casca, cabeças, tripas se tiverem e reservar. Cozer a massa em água a ferver e temperada de sal, até ficar "al dente". Enquanto a massa coze, aquecer uma frigideira grande com um fio de azeite, o alho espremido com utensílio próprio ou bem picado com a faca e as anchovas. Deixar até as anchovas dissolverem no azeite. Adicionar o tomate pelado picado e apurar mais alguns minutos. Misturar uma colher de água (ou a água da cozedura da massa), no queijo mascarpone e mexer até ficar mais cremoso. Escorrer a massa e acrescentar à frigideira junto com os camarões e o queijo mascarpone. Envolver bem, retificar o tempero de sal e pimenta a gosto. Servir de imediato, polvilhado com salsa seca. Bom fim de semana!

25 setembro 2014

Creme De Courgette Com Canónigos Para Acompanhar Uma Pizza Ristorante


A Dr.Oetker desafiou-me e eu decidi começar pela sopa. Acho que além das saladas e legumes salteados, por exemplo, a sopa faz uma dupla perfeita com uma deliciosa pizza. Os dias de Outono estão a chegar junto com os dias de muita preguiça, em que se quer ocupar o tempo com outras rotinas. Há que almoçar ou jantar rapidamente, saltar para o sofá com a família, levar uma taça de pipocas e ver um filme bem divertido. A louça lava-se depois! Este creme de courgette com canónigos faz a dupla perfeita com a Pizza Ristorante Mare - Salmone Tonno e Scampi. Uma pizza com camarão, pedaços de salmão e atum, e coberta por um cremoso queijo mozzarella. 

Ingredientes para 4 pessoas:
- 2 courgettes médias
- 1 nabo médio
- 1 cebola
- azeite q.b.
- sal q.b.
- 1,5 l de água
- 1 chávena (tipo almoçadeira) com canónigos frescos

Preparação:
Numa panela, levar a cebola picada a refogar com um fio de azeite, até reduzir um pouco e ficar macia. Acrescentar as courgettes e os nabos sem casca, e cortados aos cubos do mesmo tamanho, para cozerem de maneira uniforme, junto com 1,5 l de água e uma pitada de sal. Deixar ferver alguns minutos até os legumes estarem tenros. Desligar o lume e triturar com a varinha mágica até ficar um creme bem aveludado. Levar novamente ao lume até voltar a ferver. Adicionar os canónigos e desligar o lume de imediato. Retificar o tempero de sal e a textura do creme, e se necessário acrescentar um pouco mais de água. Servir quente e fazer companhia a uma pizza. Bom apetite!
Salmone Tonno e Scampi
imagem retirada do site da marca

24 setembro 2014

Grelos De Nabo Salteados Com Queijo Da Ilha



Por norma não sou de comprar comidas processadas e pré-cozinhadas, mas gosto de ter sempre no congelador, espinafres, grelos, esparregado, tomate picado e por aí. É certo que apesar de congelado é bastante fresco e rápido de fazer quando não há muito tempo para pensar em refeições. Sábado passado foi dia de ir aos legumes e à fruta e que bom foi trazer aqueles grandes molhos de espinafres e grelos, que depois de cozinhados ficam reduzidos a tão pouco. Mas é incomparavelmente melhor, apesar do trabalho a lavar e a arranjá-los. Lá por casa consumimos saladas ou legumes a todas as refeições. 

Ingredientes:
- 1 molho de grelos de nabo
- 2 dentes de alho com casca e esmagados
- 1/2 malagueta vermelha (tipo chili)
- 3 colheres de sopa de queijo da ilha ralado
- sal q.b.
- azeite q.b.

Preparação:
Lavar bem os grelos e rejeitar os talos mais grossos. Levar ao lume uma panela grande com água temperada de sal. Quando estiver a ferver, colocar os grelos e deixar destapado para não perderem a cor e ficarem escuros. Em cerca de 5 minutos estão prontos, para que fiquem tenros mas não demasiado cozidos. Escorrer bem para retirar toda a água. Levar uma frigideira grande com um fio de azeite, o alho e a malagueta picada, a aquecer. Acrescentar os grelos e saltear uns cinco minutos. Adicionar o queijo da ilha, mexer, retificar o tempero de sal,  e está pronto a servir. Bom apetite! 

22 setembro 2014

Mousse De Amoras Silvestres


Volta e meia gosto de remexer as gavetas do congelador e perceber o que lá anda há mais tempo. Gosto de gastar tudo até ao fim. Esvaziar prateleiras e gavetas, limpar e esperar que sejam cheias de coisas novas e frescas. E dizer não ao desperdício! Nunca poderia jogar fora a caixinha das amoras silvestres que tanto adorámos apanhar. Depois de muitos arranhões, risadas e vespas a esvoaçarem ao nosso redor, nunca poderia fazer tal coisa. E foram tantas, que uma parte teve mesmo de ser congelada. Saiu uma mousse muito leve e com o delicado sabor das amoras silvestres apanhadas por nós.

Ingredientes para 5 pessoas:
- 2 chávenas (de chá) de amoras silvestres (usei congeladas)
- 6 colheres de sopa de açúcar (usei amarelo)
- 200 ml de natas (35% M.G.)
- 1 iogurte natural
- 3 folhas de gelatina incolor

Preparação:
Levar um tacho pequeno ao lume, com as amoras, o açúcar e cerca de 3 colheres de sopa de água (ou o suficiente para ajudar a dissolver o açúcar). Deixar até ferver alguns minutos e as amoras começarem a reduzir. Triturar no liquidificador e passar pelo coador para separar as sementes.
Bater as natas, que devem estar bem frias, até ficarem consistentes, adicionar de seguida o iogurte e misturar bem.
Numa taça com água, hidratar as folhas de gelatina (cortada em 2 ou 3 partes). Escorrer parte da água, deixando um pouco (não é necessário muita) para levar ao microondas durante alguns segundos, até as folhas estarem dissolvidas na água. Misturar a gelatina com as amoras, e mexer bem.
Adicionar o preparado das amoras e gelatina às natas e iogurte, e envolver bem.
Dividir por 5 taças (pequenas) e levar ao frigorífico durante algumas horas para solidificar. Servir bem fresco e decorado com amoras. Boa semana!

19 setembro 2014

Frango Assado No Forno (E Recordações De Infância)

Hoje levei um "ralhete" da minha prima Rute. Diz que tem vindo cá todos os dias e as receitas estão paradas. Ela é fã do meu tempero, o que me lisonjeia muito. Depois do "ralhete", vim para casa a correr vasculhar as receitas em lista de espera.
Enquanto vinha no caminho pus-me a pensar em como a família é importante. Manter perto de nós as pessoas que se encaixam bem em nós, é tão importante como um comprimido para a cabeça, quando ela nos dói.
Tenho no meu baú das recordações de infância momentos muitos bons, passados com a prima Rute e o meu primo Tiago. Momentos que os adultos teimam em quebrar porque não sabem aproveitar a vida e ser felizes como as crianças. Como as crianças que nós éramos. E éramos tantos primos, tantos que fiz uma pausa para contá-los e somos 17.
Cada um foi seguindo as suas vidas, fez as suas escolhas e depois tudo se perdeu, até um dia um telefonema a desejar bom natal aos meus avós paternos e ela estava lá. Tenho na memória que ela é que pediu para falar comigo, trocámos contactos e até hoje não nos largámos mais.
Deixámos de lado as quezílias dos adultos, aqueles mais adultos que nós somos agora. Quando falo com ela, sinto-me ainda aquela criança feliz e rodeada pelos primos, sem as complicações dos crescidos. E se os adultos soubessem o quanto é importante esta relação entre primos, talvez não quebrassem a corrente da vida, que era termos crescido juntos mais um pouco. Porque foi tão boa a minha infância, tão cheia de gente, de vida, de falta de luxo mas com amor a sobejar.
A minha prima Rute trouxe-me esses momentos outra vez.
Acho que já falámos de tanta coisa, que nada ficará por dizer se uma de nós hoje desaparecer.
Afinal ela lembra-se de coisas que no meu baú não guardei, e eu recordei-a de outras, que ela já tinha esquecido. Ao longo dos anos fomos construindo pouco a pouco, a relação que ficou interrompida. E é tão bom ter a minha prima Rute por perto. É tão bom ela saber do que falo, ela compreender aquilo que sinto. Ela lembra-me a minha irmã. 
Lembro-me como se fosse hoje, quando em miúda fui passar um fim-de-semana a casa dela. Lembro-me da alegria contagiante, dela a tocar tão bem órgão, do meu primo Tiago, o mais novo dos primos, de cabelo irrequieto e o seu ar traquinas, que ainda hoje quando penso nele vem-me à memória uma personagem do “Verão Azul”, que a malta da minha geração se lembrará de certeza, da minha tia na pequena cozinha mas tão cheia de amor maternal a preparar um saco cheio com pão e a fazer sandes de fiambre com manteiga, para irmos todos para a praia. Apanhei um escaldão nesse dia, até com herpes solar fiquei, mas nunca mais me esqueci desses momentos, que acompanham a nossa vida para sempre e nos tornam as pessoas cheias que somos hoje. Apetecia-me tanto perguntar à minha tia: Então tia ´tás boa? Lembras-te de mim?,  ou ao meu primo Tiago: Olá primo, sabes que foste o último dos primos, mas o primeiro dos desta banda também lhe dei o nome de Tiago? Continuas reguila? Sei que gostas de motas, proteges muito os animais, que és um tio espetacular e gostas da playmobil..., ao meu tio: Tio, sabias que eu também tive um mini amarelo como os teus?  E tu prima sabes que és o único elo que me sobrou desse lado, mas que me vale por muitos? Sei que fazes a mesma pergunta que eu: Porquê? Porquê os crescidos estragam sempre tudo, quando a vida nos dá uma família tão grande. Porquê, com o passar dos anos, a mesa de natal fica sempre mais pequena?
A receita de hoje é para os meus primos. Eu sei, eu sei, é uma receita tão simples... Mas, se hoje eu recebesse a visita deles, haveria muitos abraços para trocar, muita conversa para pôr em dia, muitas recordações para relembrar, e eu não teria tempo de fazer um jantar elaborado. Só me restava pôr um frango bem grande no forno, um tempero simples, mas mesmo assim especial e batatas fritas de pacote a acompanhar. Porque a puta da vida é para aproveitar bem e não perder tempo com mesquinhices. A vida é bela! (desculpem a asneira, saiu-me).

 Ingredientes para 4 a 6 pessoas:
- 1 frango grande
- 3 dentes de alhos espremidos com utensílio próprio ou bem picados com a faca
- 1 colher de sopa (bem cheia) de mostarda
- 1 colher de sobremesa de paprika
- 1 colher de sobremesa de sal grosso
- 1 colher de café de pimenta preta moída
- 1 colher de café de coentros moídos (em  pó)
- 2 colheres de sopa de azeite

Preparação:
Misturar bem todos os ingredientes, à exceção do frango, até ficar uma pasta. Massajar todo o frango com a pasta e deixar a marinar de um dia para o outro, ou cerca de duas horas.
Levar ao forno pré-aquecido a 200º, tapado com papel de alumínio, aproximadamente 1:45 a 2 horas (se o frango for muito grande). Retirar o papel de alumínio a meia hora do tempo terminar para alourar a parte de cima. Acompanhar com arroz, batatas fritas, legumes cozidos ou salteados, saladas variadas, ou mesmo batata frita de pacote, para dias descomplicados. Bom fim de semana e pensem na vida!


17 setembro 2014

Pudim De Coco Com Cuajada


Enquanto elaborei este "post", além de estar a enviar sms e mensagens pelo FB ao grupinho dos workshops da Lúcia e da Dulce, também me ri que nem uma perdida. Pois caí em mim, depois de ter tratado um polícia por: Oh amigo, mas é preciso fechar o trânsito por causa desta porcaria? (centenas de jovens penso que a divertirem-se com as praxes) Ele respondeu: E acha que eu também queria estar aqui em pé a fazer figura de parvo? Bem, a verdade é que o amigo saiu-me sem querer, e por causa disso fiz a minha irmã dar umas boas gargalhadas quando lhe telefonei a contar. Enfim, graçolas da vida, que a mim acontecem-me muito...

Ingredientes para 3 pessoas:
- 1 saquetas de cuajada Royal
- 150ml de leite (usei meio gordo) - usar um pouco mais de leite se gostarem do pudim mais cremoso
- 200ml de leite de coco
- 50g de açúcar (usei açúcar amarelo)
- 10g de coco ralado + para polvilhar depois de frio

Preparação:
Misturar bem a cuajada com cerca de metade do leite (não é necessário precisão, é apenas para dissolver a cuajada). Levar ao lume o restante leite com o leite de coco, o açúcar e o coco ralado, até levantar fervura. Adicionar entretanto a cuajada e deixar ao lume (não muito alto) até voltar a levantar fervura, sempre a mexer com a vara de arames. Quando levantar fervura retirar uns segundos do lume, mexer e voltar a colocar mais alguns minutos até engrossar. Dividir em 3 pequenas taças individuais e levar ao frigorífico até ganhar consistência e ficar bem fresco. Na hora de servir polvilhar com coco ralado. Aquele abraço!

15 setembro 2014

Salada De Búzios Integrais Com Molho De Iogurte E Coentros


O Verão foi-se embora repentinamente. O sol, as cores, a alegria, as manhãs preguiçosas e as noites tardias, passaram a novas rotinas. Eu gosto do Outono, só não gosto que ele tenha vindo antes do tempo. Agora resta-me despedir à pressa das coisas boas que o Verão nos trás, para abrir de vez a porta ao Outono e às novas rotinas que também se encaixam na perfeição nestes dias cinzentos e instáveis.

Ingredientes para 3 pessoas:
- 200g de massa búzios integrais
- 75g de milho doce
- 1 bola de mozzarella de búfala cortada aos cubinhos
- 8 tomates cerejas cortados ao meio
- 1 cenoura ralada no crivo mais largo do ralador
- 1/4 pimento assado às tirinhas
Para o molho:
- 1 iogurte natural
- coentros frescos picados q.b.
- azeite q.b.
- sal fino q.b.
- pimenta moída q.b.
- sumo de limão q.b.

Preparação:
Cozer a massa em água a ferver e temperada de sal, até ficar "al dente". Escorrer e envolver com um fio de azeite. Misturar todos os ingredientes do molho e temperar a gosto. Empratar numa travessa grande dispondo a massa e depois os restantes ingredientes. Polvilhar com folhas de coentros frescos. Servir morno ou frio. Levar à mesa com o molho de iogurte. Bom apetite!

12 setembro 2014

Panquecas De Chocolate, Mirtilos e Amoras Silvestres


Estas panquecas faziam parte de um pequeno almoço dos bons, daqueles que vemos nos filmes e nas novelas. Daqueles que prometi fazer todos ou quase todos os Sábados ao "piolho encardido". Bem, a verdade é que vida de blogger não é fácil, mas também vida de familiar de blogger não o é. Aqui em casa come-se a comida fria e às vezes eles merecem que eu mostre mais preocupação pela refeição deles, que a fotografia que quero mostrar ao mundo. Sobraram 2 panquecas e lá fui eu escondida tirar uma foto. Pois eles estavam esfomeados e atacaram a mesa, desmanchando todo o aprumo que fiz para captar a imagem. Pus o "piolho" a fazer as panquecas, para se entusiasmar a come-las, e claro com chocolate à mistura. E assim pude variar dos ovos mexidos, salsichas e bacon tostado que ele tanto adora.

Ingredientes para 5 panquecas:
- 200g de farinha de trigo com fermento 
- 1 colher de sopa cheia de chocolate em pó
- 3 colher de sopa de açúcar 
- 250ml de leite
- 1 ovo tamanho XL
- 1 chávena de mirtilos
- 1 chávena de amoras
- óleo alimentar para pincelar a frigideira q.b.
- açúcar em pó para polvilhar (opcional)

Preparação:
Peneirar a farinha e o chocolate para uma taça grande (ajuda a ficar sem grumos, mas pode ser dispensada esta fase). Adicionar o açúcar e misturar. Depois acrescentar o leite aos poucos e ir mexendo com a vara de arames. Adicionar o ovo e voltar a incorporar muito bem. Enquanto a mistura descansa, aquecer uma frigideira pequena (usei 20cm de diâmetro) pincelada com óleo e retirar o excesso com papel absorvente. Quando estiver bem quente, verter conchas de "sopa" deste preparado e distribuir alguns mirtilos e amoras. Quando começar a borbulhar está na altura de virar. Só se põe óleo na frigideira uma única vez. Repetir a operação até a massa ter terminado. Servir  polvilhado com açúcar em pó. Bom fim de semana!

09 setembro 2014

Farófias Com Leite Creme (Instantâneo)


Por debaixo deste leite creme, escondem-se as nuvens brancas que tanto gosto de saborear. É uma das minhas sobremesas preferidas, mas nunca me lembro de fazer. Claras no congelador e leite creme instantâneo na dispensa que já tinha comprado para outra receita e que ficou demasiado tempo em espera, pois não sou de comprar estas coisas. Eu sei que não me fica bem dizer que comi praticamente esta travessa inteira... Eu sei... Mas comi!

Ingredientes para 4/5 pessoas:
- 1 l de leite
- 1 pau de canela
- 1 colher de sobremesa de essência de baunilha
- 5 + 3 colheres colheres de sopa de açúcar refinado
- 5 claras tamanho XL
- 2 saquetas de leite creme instantâneo (usei Pingo Doce)
- canela em pó para polvilhar

Preparação:
Levar o leite a ferver numa panela grande, juntamente com o pau de canela, a essência de baunilha e as 5 colheres de sopa de açúcar.
Bater as claras e quando estiverem quase em castelo adicionar aos poucos as 3 colheres de sopa de açúcar e bater até ficarem bem firmes.
Quando o leite estiver a ferver, baixar o lume. Levar a cozer no leite, colheradas (usei uma colher de sopa) de claras durante cerca de 1 minuto, virando a meio. Convém colocar poucas de cada vez, pois as claras ficam muito volumosas quando cozidas no leite muito quente. Escorrer e repetir a operação até ter terminado as claras. Ir retirando as natas que se vão formando. Coar todo o leite que sobrou e retirar um pouco à parte para misturar bem o pó do leite creme. Levar o leite novamente ao lume já com a mistura do leite creme e misturar bem. Deixar ao lume até começar a ferver e a engrossar. Ir mexendo com a vara de arames. Depois de ligeiramente arrefecido verter o leite creme na travessa das claras. Levar ao frigorífico até ficarem bem frias. Na hora de servir polvilhar com canela em pó. Bom apetite!

08 setembro 2014

Arroz De Pato (Inspirado N' O Barriguinhas)



Por norma faço sempre o arroz de pato desta maneira simples e muito rápida de fazer. Fica saboroso, pois cozo o pato com a pele também. Por vezes vario, fazendo um refogado com cebola, um dente de alho, o chouriço e bacon aos cubinhos. Junto depois o arroz (vaporizado que fica sempre bem) e frito ligeiramente e de seguida o caldo da cozedura do pato. Quando o arroz estiver quase cozido, acrescento o pato desfiado e os miúdos picadinhos, misturo bem e forno com ele. Decidi variar um dia destes, destas 2 formas. Espreitei no blogue da Lúcia "O Barriguinhas", o seu arroz de pato, e apesar de ter feito ligeiras alterações adaptadas aos ingredientes que dispunha em casa e ao meu gosto pessoal, gostei muito! E mesmo a propósito, parece que tinha esta receita guardada para uma ocasião especial. "O Barriguinhas" está a fazer 4 anos de existência e todos sabemos o trabalho que dá manter um blogue "vivo". Acho que não há melhor maneira de homenageá-la que fazer ou inspirar-me nas suas receitas. O desafio foi lançado e em dias de festa, arroz de pato cai sempre bem, para chamar a família e partilhar bons momentos. Parabéns Lúcia!

Ingredientes:
- 1 pato com 
miúdos
- 2 cebolas
- 3 + 3 dentes de alho 
- 2 cenouras
- 1 chouriço de carne
-
1 fatia grossa de bacon (com cerca de 2,5 / 3 cm)
100ml de vinho tinto
- sal q.b.
- pimenta moída q.b. 

- azeite q.b.
- 400g de arroz carolino 

Preparação:

Colocar o pato partido aos quartos e os miúdos na panela de pressão, juntamente com as cebolas, 3 dentes de alho, as cenouras, tudo descascado e inteiro (para ser mais fácil retirar depois do pato cozido), metade do chouriço de carne (inteiro), 1/3 do bacon inteiro, o vinho, sal e pimenta a gosto. Não coloco azeite pois deixo sempre a pele do pato que tem bastante gordura. Colocar água na panela de pressão até cobrir o pato. Deixar no lume médio aproximadamente 30/40 minutos. Depois de sair toda a pressão da panela, retirar e desfiar o pato, picar os miúdos, o chouriço e o bacon. Retirar as cenouras, as cebolas, os alhos e reservar o caldo. Numa frigideira grande ou num wok, com um fio de azeite e os restantes 3 dentes de alho picados, saltear o pato, o chouriço e o bacon, cerca de 1 minuto e reservar.
Colocar novamente ao lume a panela com o caldo do pato. Quando começar a ferver, juntar o arroz e deixar até estar cozido, aproximadamente 10m. Escorrer o arroz e dispor metade na travessa de ir ao forno, no meio as carnes desfiadas e salteadas, e por fim o restante arroz. Decorar com o restante chouriço às rodelas e o bacon às fatias finas. Levar ao forno a 180º, durante 30/45 minutos, dependendo do forno de cada um e de como gostam do arroz, mais estaladiço ou menos. 

Nota: Se o pato for muito grande, deverão aumentar a quantidade do arroz.

04 setembro 2014

Bolo Mousse De Chocolate (inspirado na receita da Donna Hay)

"O piolho encardido" está a crescer. Ele faz-me sonhar com a minha infância. Ele tem um sentido de humor brutal para uma criança de 8 anos. Ele levanta-me ao colo, tal como eu fazia à minha mãe. Ele entra pela cozinha e agarra-me pelos braços e diz-me: mãe vamos dançar um jazz? Ele já aprendeu a tirar as meias sem as virar ao contrário, (coisa que o pai ainda não aprendeu) mas quando fica zangado por ter de se ir deitar, tira uma das meias pelo avesso em jeito de vingança... E eu acho deliciosa esta vingança. Ele ajuda-me a por a mesa, a levar o lixo e quer levar sempre as compras. Ele adora amuar à espera que vá ao seu encontro para fazermos as pazes. Ele adora cinema para crescidos. Ele é a perfeita companhia para tudo. Ele adora sair à noite e ir àquele bar quase familiar que descobrimos, para comermos uma bifana a horas que já devia estar a dormir. Ele adora ver a novela comigo, um compromisso que criámos na brincadeira e decidimos partilhar. Ele enche-me a alma de esperança. Ele faz-me sair da cama todos os dias. Eu já lhe perguntei se ele era feliz. Ele disse que sim e eu sosseguei este meu coração inquieto. Fiz-lhe bolo de chocolate e acertei finalmente. Ele adorou.

Inspirado na receita da Donna Hay com ligeiras alterações 
Ingredientes:
- 400g de chocolate culinário
- 125g manteiga
- 100g de açúcar moreno
- 70g de farinha de trigo sem fermento  (usei tipo 55)
- 2 colheres de sopa de leite
- 5 ovos tamanho L
- chocolate em pó para polvilhar q.b.

Preparação:
Ligar o forno a 170º. Untar uma forma redonda (usei de 23cm) com manteiga e forrar com papel vegetal, o fundo e à volta (ver como se faz aqui na receita da Donna Hay).
Numa taça grande de vidro, colocar o chocolate e a manteiga partidos aos pedaços. Levar a derreter em banho-maria (tendo o cuidado para a água que está na panela não tocar na taça). Ir mexendo até estar derretido. Retirar do lume e na mesma taça adicionar o açúcar, a farinha peneirada, o leite e misturar bem com uma colher. Adicionar os ovos e voltar a misturar com a colher até estar tudo bem ligado. Verter para a forma e cobrir com papel de alumínio. Levar ao forno aproximadamente 40/45 minutos (usei a opção de ventilação no forno). Retirar o papel de alumínio e deixar arrefecer por completo. Reservar no frigorífico. Polvilhar com chocolate em pó na hora de servir. Bom apetite!





03 setembro 2014

Asinhas De Frango No Forno Com Caril

Eu confesso! Adoro petiscos feitos com asinhas de frango. É tão económico por um lado e por um outro mantêm-nos ocupados por algum tempo e sem comer demasiada carne. Desta vez saíram umas asinhas com caril indiano, trazido da Índia pela mão de uma querida amiga, saborosas e sem adicionar qualquer gordura como azeite, banha ou manteiga. 

Ingredientes para 24 unidades:
- 24 asinhas de frango (cerca de 2 kg)
- 1 iogurte natural
- 100ml de leite de coco
- 1 pequeno molho de coentros picados 
- 2 dentes de alhos espremidos com utensílio próprio ou bem picados com a faca
- sumo e raspa de 1 limão pequeno
- 1 colher de sobremesa de sal fino
- 1 colher de sopa de caril indiano
- 1 colher de sopa de açafrão das Índias (curcuma)

Preparação:
Cortar as pontas das asinhas (para ocupar menos espaço no tabuleiro do forno). Numa taça grande, colocar todos os ingredientes e misturar bem. Adicionar as asinhas à marinada e envolver para que todas absorvam o tempero. Deixar uma hora ou de um dia para o outro no frigorífico. Colocar as asinhas no tabuleiro de ir ao forno juntamente com a marinada. Levar ao forno pré-aquecido a 220º, aproximadamente 1 hora ou até que estejam bem douradas. Servir quente e acompanhar com arroz basmati ou salada variada. Bom apetite!

01 setembro 2014

Gelado De Chocolate (Em Sandwich)










Este verão praticamente não comprei gelados, apesar de haver tantas variedades e a bons preços, eu continuo apaixonada por aqueles que faço eu mesma. Têm um sabor muito especial por serem preparados por nós. A fórmula vai sendo a mesma que ainda não me desiludiu. A Dulcis deu-me uma ajuda no principal ingrediente e até com as próprias embalagens vazias que fui guardando e que serviram para levar o gelado ao congelador. Depois desenformar e cortar para ser acompanhado em jeito de sandwich com bolachas digestivas, foi bem mais fácil.

Ingredientes:
- 1/2 embalagem de 200g de Dulcipasta de Chocolate
- 300ml de natas (M.G. 35%)
- 3 claras de ovo tamanho L
- 1 + 1 colheres de sopa de açúcar 
- algumas gotas de sumo de limão
- bolachas digestivas q.b.

Preparação:
Bater as natas que devem estar bem frias, juntamente com umas gotas de limão e uma colher de açúcar, até ficarem volumosas. Adicionar a Dulcipasta de chocolate e bater novamente até ficar bem misturado. Bater as claras e quando começarem a ficar espumosas acrescentar 1 colher de sopa de açúcar e algumas gotas de limão e continuar a bater até ficarem em castelo. Adicionar aos poucos ao preparado anterior, com a colher de fora para dentro, de forma que as claras não percam muito ar. (Adicionar açúcar e limão às claras e natas ajuda a que fiquem mais firmes). Levar o gelado ao congelador de um dia para o outro ou até estar solidificado. Saborear simples ou em jeito de sandwich com bolachas digestivas ou outras a gosto. Bom apetite!

Nota:  Não é necessário bater o gelado entre a congelação, pois as natas e as claras em castelo ajudam a deixar o gelado bem cremoso e sem cristais de gelo. Gelados sem natas e com frutas que tenham mais quantidade de água é necessário fazê-lo, pois criam os cristais de gelo.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...