30 outubro 2015

Pizza 2 queijos, presunto e azeitonas (com a ajuda da CONDI)

Mais um desafio Condi, desta fez utilizando o fermento padeiro seco. Saiu uma pizza do forno, aliás, saíram duas, pois há algum tempo que não fazia para o "piolho encardido" que está sempre ansioso por comer pizza. Desta vez fiz a massa em jeito de pão, pois decidi não colocar azeite como habitualmente faço, e uma parte da farinha utilizei farinha integral. Não comprometeu o sabor nem a textura. É irmos variando e testando outras formas de fazer as coisas.

27 outubro 2015

Pudins de requeijão, mel e nozes

Este fim de semana foi muito caseiro, e a verdade é que me soube bem. Cozinhei muito, mais do que devia, e fui enchendo o frigorífico de sobras que gosto sempre de consumir rapidamente. Foi também altura de olhar para os ingredientes que havia no frigorífico e na despensa, uns com validade apertada e outros frescos a precisarem de serem consumidos rapidamente. O requeijão a terminar o prazo foi o mote perfeito para fazer a sobremesa. Havia mel, uma mão cheia de nozes e restavam dois ovos no frigorífico. Rapidamente preparei uns pudins com aquele sabor típico desta combinação, requeijão, mel e nozes. Melhor é impossível.

26 outubro 2015

Linguine rosa com atum e cogumelos

Nem sempre a vida é cor-de-rosa. Nem sempre tudo nos corre como gostaríamos. Nem sempre estamos à altura das pedras que vamos encontrando no caminho. Nem sempre é fácil. Este ano tem sido revelador para mim. Descobri que sou mais forte do que imaginava e já não tenho medo do desconhecido. Estou a aprender a estar à altura do que me vai acontecendo, contornando os obstáculos colocando-me sempre em primeiro lugar, como nunca antes fiz. Aprendi a gostar mais de mim. Aprendi que eu própria sou o melhor colo que tenho. Temos que nos amar em primeiro lugar e nunca por nada deste mundo deixar que nos destruam a alma. A alma que passamos a vida a entregar aos outros que depois nos devolvem como se nunca a tivessem tido.
E o que desejo para 2016? Desejo encontrar pessoas bonitas, pessoas para as quais eu possa parecer bonita também. Pessoas que não se importem com os meus defeitos e até se riam deles. Pessoas que entrem no meu álbum de fotografias e permaneçam lá para sempre.
A puta da vida nem sempre é cor-de-rosa, mas como quem manda na minha cozinha sou eu, este fim de semana saiu um prato cor-de-rosa choc a fazer lembrar a minha querida amiga Gigi que já partiu e que bebia sempre batidos de beterraba, cenoura e laranja e eu só consegui deixar entrar na minha dispensa esta raíz depois de algum tempo da sua morte. Porque ao contrário da cebola, descascar beterraba fazia-me sempre chorar a sua ausência. Aprendi a recordá-la cada vez que faço beterrabas, aprendi a transformar os olhos inundados de água por memórias tão boas passadas com ela. E atum porquê? Porque esta lata de atum viajou por sítios que provavelmente eu nunca conhecerei e veio ter às minhas mãos pelas mãos de alguém que marcou a diferença. Obrigada!

22 outubro 2015

Bolo de maçã e cevada solúvel (sem batedeira)

Às vezes sinto que estou a virar uma verdadeira mulher das cavernas... É que por muito que eu queira adaptar-me às tecnologias que nos facilitam e ajudam na cozinha, mais sinto que não preciso delas. Nunca fui muito chegada aos bens materiais, sempre fui mais ligada às emoções com as pessoas, aos sítios que fui e que quero voltar a ir, ou a outros que anseio conhecer, e a todas as experiências e vivências que marcam verdadeiramente a vida, a minha vida. Isto para vos dizer que desde que a minha batedeira avariou, não senti ainda qualquer necessidade de a substituir, pois descobri que consigo bater natas em chantilly, claras em castelo ou fazer bolos sem ela. Este bolo foi a prova disso. Em poucos minutos estavam os ingredientes misturados e a massa pronta na forma para levar ao forno, e sem grande esforço manual.


20 outubro 2015

Filetes de cavala cozidos à algarvia

Eu cresci com receitas algarvias, trazidas pelos meus pais quando vieram do sul para se instalarem juntos noutra cidade bem distante. Volta e meia gosto de matar saudades destas receitas e aromas tão especiais que me lembram o colo da mãe e do pai. O colo que nunca mais vamos esquecer, estejam eles onde estiverem. É uma receita tão simples, com o sabor aromático dos orégãos e as cavalas que atualmente parece que são tratadas como um ingrediente gourmet.


19 outubro 2015

Panquecas (CONDI) com leite de coco e doce de abacaxi (com pectina CONDI)

A Condi propôs-me novo desafio, e entre panquecas e pectina saiu a minha ideia de um lanche ou pequeno-almoço bem simpático, aliás, muito simpático. As panquecas estão preparadas para nos facilitar, basta adicionar ovo, óleo e leite. Nesta minha receita de panquecas, sugiro não se adicionar óleo, e usarem uma boa frigideira anti-aderente e untada levemente com óleo, e para contrariar o vulgar leite, decidi torná-las mais exóticas e adicionar leite de coco, que fez "pendant" com o doce de abacaxi feito num piscar de olhos com a ajuda da pectina. A pectina ajuda-nos a engrossar rapidamente os doces feitos com frutas que não contenham muita pectina naturalmente, como é o caso do abacaxi.
Obrigada Condi!

16 outubro 2015

Focaccia de tomate seco e alecrim (com a Fermipan para o dia mundial do pão)

Em casa onde não há pão, todos reclamam e ninguém tem razão. Foi com esta frase que cresci, ouvindo vezes sem conta a minha mãe dizê-la. Hoje percebo bem o que isto significa e como as palavras têm tanto poder. Por isso é sempre melhor pensar antes de falar, e de falar antes de agir.
Toda esta conversa à volta do pão para assinalar este Dia Mundial do Pão, que hoje se celebra. Todos já sabemos a preciosidade que é termos pão na mesa, daí achar que este dia merece ser comemorado com respeito e grande simbolismo como o rei de todos os alimentos.
Fermipan desafiou-me mais uma vez (obrigada Maria!) e eu lá pus as mãos na massa, coisa que adoro fazer, seja ela qual for, desde que haja paciência na espera, o resultado final é sempre bom. Todo o pão à volta do mundo é especial, por isso hoje saí uma focaccia do forno feita com a receita base habitual de pão que faço vezes sem conta.



14 outubro 2015

Bacalhau, batatas e ovos cozidos com crosta de 3 pimentos e coentros

Tenho feito muitas receitas com bacalhau. Nem todas estão por aqui, pois nem sempre me dá jeito fazer esperar os meus amores enquanto faço o registo fotográfico. Já me convenci que tenho toda uma vida para vos mostrar o que vou cozinhando.
Quase todas as semanas compro lombos de bacalhau congelados em promoção, ora num hipermercado ora noutro. Tem-me dado tanto jeito, que pensando bem, há realmente muito tempo que não tenho bacalhau seco a demolhar em casa. Sim, tenho andando preguiçosa, mas isso não faz de mim uma mulher inferior, apenas gosto de ver a minha vida facilitada algumas vezes, já que na minha cozinha tento fazer tudo de raiz. Desta vez saiu um prato simples de bacalhau, batatas e ovos cozidos que depois é mimado com uma crosta de pimentos e coentros, que dá cor e uma dinâmica diferente ao prato. Perfeito para preparar de manhã ao fim de semana, e levar ao forno quando chegamos os três a casa da natação.

12 outubro 2015

Crumble de maçã e baunilha (com aveia e nozes)

Têm saído da minha cozinha algumas sobremesas todas elas com maçã. Havia o crumble para experimentar e nem sei porquê nunca o tinha feito. Conhecia algumas receitas e os vários métodos de a fazer, mas ainda não tinha pensando bem nisso. É uma sobremesa muito agradável, que se pode alterar, variar ou torná-la mais saudável para quem não pode abusar tanto. Na minha opinião acho que vale muito a pena todo o trabalho antes com as maçãs, o sabor e a textura será completamente diferente se as utilizarem a "crú". A fotografia não faz "jus" às minhas palavras porque foi tirada no dia seguinte e já fria, e faz toda a diferença acreditem, mas têm a minha palavra de honra que estava bom. Lá andei a procurar defeitos aqui e ali, e quando saiu do forno comi logo uma taça. A curiosidade de provar e saber como me tinha saído era tão grande que percebi que despachei uma logo assim à cabeça. E eu até nem me apetecia, era mesmo só para criticar. A vagem de baunilha torna esta sobremesa especial e vale a pena ter sempre em casa, tal como o açúcar mascavado, que apesar de não ser próprio para fazer um caramelo normal, nestes casos resulta muito bem pois vai cozinhar com as maçãs e acaba por dissolver-se e caramelizar bem, e fica com um sabor divinal como quando fiz esta tarte que tem mais açúcar porque as maçãs eram bem ácidas.

09 outubro 2015

Creme de couve-flor com couve galega (caldo verde)

Cá em casa somos todos apreciadores de sopa. É claro que cada um tem as suas preferidas. Eu adoro sopas de peixe, de entulho, sopa da pedra e todas que levem carne e enchidos. O "mais-que-tudo" adora as aveludadas com muitos espinafres ou grelos e massa, de marisco, gaspachos, sopa alentejana e de tomate. O "piolho" gosta muito das mesmas que eu, tirando as de peixe, adora canja e caldo verde com muito chouriço. Como faço sopa muitas vezes durante a semana dá para agradar a todos. Eu continuo a gostar de contornar alguns obstáculos na cozinha, como foi o caso desta sopa. O "piolho" ainda não aprecia muito couve-flor, por isso tive de arranjar artimanhas e esconde-la numa sopa que tivesse parecenças com o caldo verde com chouriço que ele tanto adora. Bastou parecer, bastou colocar um chouriço na mesa com pão para o apanhar distraído e dar a golpada final, ou seja, ele comer a sopa toda.

07 outubro 2015

Coxas de frango com cogumelos e 3 pimentos (marinada da CONDI) e arroz Thai Jasmine de limão

A Condi desafiou-me a testar alguns dos seus produtos. Um deles é a marinada para frango e peru. Como esta marinada já contém tudo o que precisamos para temperar, não foi sequer preciso adicionar mais nada de temperos ou gordura. E quando digo, mais nada, é mesmo mais nada. Claro que tive que dar cor ao prato e adicionar uns ingredientes extra para fazerem companhia ao frango e assim parecer que foi imensamente trabalhoso fazer esta refeição, mas não foi! Marinada aprovada! Obrigada Condi!


06 outubro 2015

Choquinhos picantes com tomate

Um petisco quase como despedida dos dias de sol, mas não o último. Com a chegada do frio novos petiscos farão parte da mesa. Outros mais aconchegantes que pedem um vinho tinto em detrimento da cerveja bem fresquinha.

05 outubro 2015

Requeijão com salmão fumado e cebolinho

Às vezes não é preciso muito para rapidamente se fazer um petisco em casa. Fico sempre claramente mais satisfeita a vários níveis. Poupo na carteira, poupo no tempo de espera, mais no tempo de estar à procura de um restaurante que nos agrade, e posso sempre controlar o sal e a gordura que utilizo. É claro que sair de casa para ir ao encontro de novos sítios e fazer boas descobertas é muito satisfatório, mas também gostamos de os fazer em casa. Havia choquinhos na mesa para mim e para o "mais-que-tudo", e o "piolho encardido" não podia ficar-se pela sandes comum, havia que preparar-lhe também um miminho enquanto ainda não aprecia os chocos. Requeijão, salmão fumado e cebolinho, uma entrada ou um petisco colorido e mais rápido que um relâmpago a preparar.

02 outubro 2015

10 anos de Olivais do Sul

A convite da Olivais do Sul, eu e o "mais-que-tudo" rumámos ao Alentejo para festejar os seus 10 anos de trabalho árduo, de espera, de muito amor e dedicação até ao ano que saiu o primeiro azeite. Fomos recebidos pela Maria M. que nos pôs ao corrente de tudo acompanhado por um sorriso encantador de quem faz aquilo que gosta. 

Aprendemos no terreno as várias técnicas de poda, os seus benefícios ou consequências e acima de tudo percebemos que é preciso trabalhar com garra para a terra nos dar o seu melhor fruto. O azeite Olivais do Sul é um produto de excelência e com uma imagem arrojada, e apesar dos seus tenros 10 anos e da primeira produção de azeite ter sido apenas em 2008, já arrecadou vários prémios.

Foi uma tarde muito agradável com direito a palestra para conhecermos a fundo como tudo começou e a entrega de uma menção honrosa a um grande conhecedor desta matéria. Houve prova de azeite, e um fim de tarde ainda melhor, onde pudemos assistir ao pôr-do-sol no terraço, ao som de saxofone ao vivo, uma vista deslumbrante de oliveiras alinhadas e bem cuidadas e um cocktail com iguarias alentejanas.

Terminámos com um jantar onde pude rir com um alentejano que se destacou pela sua garra e afinco nas palavras. Como cenário de fundo estava a realizar-se uma colheita especial noturna com a lua a iluminar e a deixar-nos vislumbrar envergonhadamente ao longe o início de tudo, e provavelmente esta colheita dará origem ao primeiro azeite do ano em Portugal.

 Parabéns Olivais do Sul, aos seus fundadores e a toda a equipa!









 

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...