21 dezembro 2015

Volto depois

Volto depois. Depois do Pai Natal me trazer as únicas duas coisas que lhe pedi. Duas coisas, apenas duas coisas. Inalcançáveis, porque tudo o que eu desejo não se desembrulha, não se paga, não se compra, não se pede. Continua a viver dentro de mim alguém que quer coisas inatingíveis, sonhadoras, utópicas e esquisitas para a maioria dos comuns mortais. 
Calar o meu silêncio estridente e voltar a acreditar. Só isso. É tudo o que quero este Natal. Dispenso tudo o resto.

Obrigada pelo carinho ao longo do ano. Obrigada por me lerem, por me ouvirem, por me abraçarem com as vossas palavras. Vocês já me vão conhecendo.

Sejam felizes, pelo menos tentem, porque a vida resume-se aos bons momentos, nada mais.

Volto depois (ou talvez não). 

carla

16 dezembro 2015

Bolo pinacolada (sem batedeira)

Tenho algumas receitas a acumular na lista de espera, mas há preocupações na minha cabeça que me foram impedindo de ter inspiração para escrever. Mas ontem tive uma boa notícia, mesmo a propósito do meu pensamento estar com ela desde que acordei para lhe ligar e saber novidades. As minhas amigas de longa data são mesmo muito especiais para mim, mesmo que as nossas rotinas não estejam cruzadas atualmente, eu quero-lhes tanto bem. Temos uma história de quase uma vida, são tantos os bons momentos, que eu nunca poderia esquecer-me de nenhuma delas.
O telefone tocou e a boa notícia finalmente chegou, depois da cirurgia e alguns dias de espera. Ela está bem, não tem nada de mal. Um grande ufa. Beijo do tamanho do mundo para ti miúda.
A receita de hoje tinha de ser doce para tornar este momento ainda melhor. Um bolo inspirado na bebida pinacolada que todos conhecem. O mote foi dado pela Pondera, que me fez chegar um miminho tão bom que uso vezes sem conta nas minhas receitas, e claro, não podia ser um caril. É uma espécie de bolo para brindar. E não fosse ter aberto a porta do forno antes do tempo e ele descer um pouco, teria ficado maior.

10 dezembro 2015

Salada quente de (sobras) de frango

Mesmo nos dias frios, há sempre espaço para umas saladas na minha mesa. Tudo foi pensado a partir das sobras de frango assado. Ficou uma salada bem aconchegante e só com coisas boas, quase a fazer lembrar a panzanella italiana.


09 dezembro 2015

Queijadas de leite e amêndoa com pele (sem batedeira)

Chegou a minha casa um saquinho de amêndoas com casca. É tão bom receber estes mimos que pertencem à terra de alguém. É inexplicável a alegria que sinto quando recebo produtos caseiros que não passam pela prateleira do supermercado. Deu algum trabalho a parti-las e aí se explica porque são tão caras, mesmo que sejam máquinas a fazê-lo. Para dar uso a estas meninas que eram tão doces, pensei numas queijadas, e como são tão fáceis de fazer, o "piolho" poderia dar uma ajuda para se entreter. Eu a mandar e ele a executar. Lembrei-me das queijadas da Sara e da Duxa e juntei as minhas amêndoas que depois flutuaram na massa e formaram uma crosta irresistível. Utilizei açúcar moreno para lhes dar mais sabor ainda, e reduzi também, pois polvilhei generosamente as formas com açúcar baunilhado e generosamente também depois de frias.

02 dezembro 2015

Pudins de chocolate preto e baunilha (com amido de milho)

Facilmente se prepara uma sobremesa para aqueles apetites repentinos. Basta um ou outro ingrediente, uns pozinhos e já está. Eu acho que ficaram uns pudins bem simpáticos e é mais uma pechincha culinária para juntar a tantas outras que tenho feito. Bom, barato e bonito. Bonito vai ser depois quando eu engordar horrores por andar a comer tantas guloseimas.

01 dezembro 2015

Cachaço de porco no forno, com mostarda, legumes e maçãs

O frio está instalado, não há nada a fazer. Nada de lamúrias, vamos é aproveitar as coisas boas desta estação do ano tão odiada por todos. Não é a minha preferida, é um facto, mas há tanta coisa boa que gosto de fazer no tempo frio. A comida de forno que nos trás tanto conforto, os fins de semana mais caseiros, as saídas para ver exposições, cinemas, as idas a Lisboa à noite bem agasalhados para vermos as luzes de natal, os petiscos em casa, as sestas depois do almoço, e mesmo o mais importante, agradecer ao destino mais um ano de "piolho encardido". Isso sim, é o meu maior presente. Enquanto anda tudo às avessas com o natal, eu só quero mesmo é pensar na festa do meu amor pequeno que faz anos no dia 25. Dez anos! Já passaram quase 10 anos que trouxe ao mundo este puto tão especial, que me faz rir como ninguém. Foi um caminho difícil enquanto esperei por ele, mas valeu a pena tudo, pois no fim tive esta grande recompensa. 
Bem, agora a receita de um belo cachaço de porco que custou 4 euros e qualquer coisa em promoção e que deu para muitas refeições para nós os três. Faz-se quase sozinho no forno e fica tão bom e económico.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...