29 maio 2012

Bolo De Requeijão

Para dançar o tango são precisos dois. E eu bem sei que o meu mais-que-tudo tem pé de chumbo. Agora, será que há explicação para esta enorme vontade que sinto há umas semanas de sambar? "Ele" é sambar em casa, no elevador, em pensamento, "ele" é ver aulas de samba no youtube... Eu sei que sou imprevisível, mas samba? Nunca me tinha passado pela cabeça...

Ingredientes:
- 275g de requeijão
- 275 g de açúcar (usei amarelo)
- 4 ovos
- 100g de manteiga
- 4 colheres de sopa de farinha de trigo
- 1 colher de chá de canela moída

Preparação:
Bate-se o requeijão com a batedeira eléctrica (ou no robot de cozinha), até ficar uma massa fina. Junta-se o açúcar e continua-se a bater. Adiciona-se os ovos um a um e a manteiga amolecida. Depois de bem misturado, junta-se a farinha e a canela peneirada, torna-se a bater. Verte-se numa forma ( usei  rectangular, tipo bolo inglês) já untada de margarina e polvilhada com farinha. Vai ao forno pré-aquecido a 180º, sensivelmente 35/40 minutos. Usando sempre a técnica do palito para ver se está cozido. Fica muito saboroso. Agora tenho de ir, vou ali sambar e já volto...

23 maio 2012

Eu E Ele Juntos Para Sempre...

                                 

O Sr. Compal ofereceu-me este seu novo bebé. Mal sabia ele que eu sou viciada em refogado. Agora dar-me ao luxo de ter um refogado com aquele cheirinho acabadinho de fazer com ingredientes frescos e pronto a utilizar, é dose! O Sr. Compal sabe como mimar-me.  Prevejo que eu e ele vamos ficar juntos para sempre. Jantamos juntos hoje?  E Amanhã? E já agora podes jantar comigo na sexta? Porque eu também mereço ter as unhas bonitas ou não mereço? Ah pois, já estão todas a chamarem-me preguiçosa, e porque não custa nada descascar uma cebola, nem um alho... Pois é! E se a última cebola que resta em casa estiver podre, e os três últimos alhos grelados? Sim, posso ir num instante à mercearia da esquina. Mas se vivessem num 3 andar que mais parece um 4 e sem elevador? Pois, também não custa nada descer rápido e tal... E se eu tiver a unha do dedo mindinho do pé esquerdo encravada? Ou com a tinta no cabelo ou os rolos? Bem, tudo serve de desculpa, para uma pessoa como eu, que não compra nada de refeições pré-cozinhadas, mas pode dar-se ao luxo de usar volta e meia este refogado já pronto a utilizar, porque nós merecemos! Bjs a todas/os.

22 maio 2012

Bolo De Batata Doce

Este post já devia ter barbas... Pois este bolinho ofereci à minha mãe no Dia da Mãe. Agora dei nisto, quando as finanças apertam, eu ofereço bolos. Uma boa desculpa para praticar, comer e oferecer. Não necessariamente por esta ordem. Primeiro ofereço e depois como. A textura interior ficou muito boa e aconselho a experimentarem.

Ingredientes:
-
300g de batata-doce
- 80g de margarina
- 125g de açúcar
- 4 ovos
- raspa da casca de 1 laranja
- 200g de amêndoa ralada
- 50g de farinha

Preparação:
Coze-se as batatas com a pele em água a ferver até ficarem macias. Escorre-se, pela-se, reduz-se a puré e reserva-se. Bate-se a margarina e o açúcar com a batedeira eléctrica. Depois adiciona-se o puré lentamente e sem parar de bater. De seguida as gemas, uma a uma, a raspa da laranja, a amêndoa ralada e a farinha. À parte bate-se as claras em castelo e incorpora-se no preparado anterior delicadamente. Verte-se para uma forma já untada com margarina e polvilhada com farinha. Vai ao forno pré-aquecido a 200º, durante 45 minutos sensivelmente. Deixa-se arrefecer, desenforma-se e polvilha-se com açúcar em pó e se preferirem juntamente com canela também. Bjs a todas/os.

Receita retirada do Site da Vaqueiro.

21 maio 2012

Eles Mimam A Mãe

Não há melhor maneira de mimar a cozinheira, que manda-la às comprinhas. Eles mimaram a mãe e apesar de eu não ser muito ligada aos bens materiais, desta vez, cá vou eu às pechinchas e posso bem demorar umas horas. Não esperem por mim para jantar... Bjs a todas/os.

19 maio 2012

Costeleta De Novilho Picante Com Salada Quente de Legumes

Cada casa é um caso. E a minha tem rituais de mudança de estação, definida por nós e não pelo calendário. A semana passada, o pai abriu a época balnear como de costume, trocando todas as patufas por havaianas e eu troquei os edredons e a capa do sofá. E terminei com esta costoleta de novilho... É por estas e por outras que eu não consigo ser vegetariana e volta e meia cedo aos prazeres da carne.

Ingredientes para 2 pessoas:
- 1 costoleta de novilho
- 1 malagueta
- 1 colher de chá de tomilho seco
- 1 colher de sopa de coentros picados
- 1 colher de café de massa de alho
- algumas gotas de sumo de limão
- sal
- pimenta (moinho 5 pimentas)
- azeite

Para a salada:
- 4 a 5 cogumelos brancos frescos
- 1 chávena de feijão verde redondo (usei congelado)
- 1 chávena de rosetas de bróculos
- 1 cebola
- 1/2 pimento vermelho
- 1 cenoura
- 1 colher de sopa de cebolinho fresco picado
- 1 colher de sopa de molho de soja
- sal
- pimenta
- azeite

Preparação:
Tempera-se a costoleta com sal, pimenta, alho, tomilho e  algumas gotas de limão. Na hora de grelhar besunta-se com azeite e grelha-se com o grelhador bem quente de ambos os lados. Deixa-se repousar uns minutos e serve-se com os coentros e a malagueta picados e mais sumo de limão se preferirem.
Num wok ou numa frigideira com um fio de azeite salteia-se os cogumelos laminados até ficarem macios, depois acrescenta-se cebola picada, o feijão verde, os bróculos, o pimento aos quadrados e a cenoura cortada longidutinalmenteem tiras finas com o descascador . Salteia-se tudo, acrescenta-se o molho de soja e o cebolinho. Rectifica-se os temperos. Saboreia-se ao por do sol. Bjs a todas/os. 

10 maio 2012

Açorda Com Rojões Da Minha Mãe

E se eu pudesse parar o tempo? Não! Não tem a ver com a nova linha anti-rugas do Boticário! Se eu pudesse parar o tempo, teria ficado mais tempo no dia da mãe... Os meus pais, os três filhos e os quatro netos, juntos numa festa maravilhosa, onde a mãe Elisabette fez a paparoca, e entre outros pratos fez este. Eu apenas comi e registei o momento. Houve dança no meio da sala, como nos bons velhos tempos, em que eu e os meus irmãos vivíamos ali... Foi um momento de ternura, cumplicidade e muitas risadas. Se eu pudesse parar o tempo, teria tornado este dia mais longo...

Ingredientes para 4 pessoas:
- 1kg de rojões de porco
- 3 dentes de alho
- 1 colher de chá de pimentão doce
- 2,5 dl de vinho branco
- 1 dl de azeite
- sal
- pimenta

Para a açorda:
- 4 bolas de mistura (pão)
- 1 cebola
-  3 dentes de alho
- 1 lata de tomate pelado
- 1 dl de azeite
- 2 a 3 folhas de manjericão fresco
- sal
- pimenta
 
Preparação:
Tempera-se os rojões com sal, pimenta, pimentão doce, os alhos picados, 2 colheres de sopa de azeite e o vinho. Mistura-se bem e deixa-se a marinar de um dia para o outro.
No dia seguinte, escorre-se os rojões e reserva-se a marinada. Num tacho aquece-se o restante azeite, adiciona-se os rojões e cozinha-se até ficarem dourados. Acrescenta-se a marinada, tapa-se e cozinha-se em lume brando até ficarem tenros, mexendo de vez enquando.
Entretanto prepara-se a açorda. Corta-se o pão em pedaços para uma tigela e cobre-se com água fria. Num tacho com o azeite coloca-se a cebola e o alho bem picados até a cebola ficar macia. Acrescenta-se o tomate pelado picado e deixa-se cozinhar 10 minutos em lume brando. Escorre-se o pão entre as mãos para retirar toda a água e junta-se ao tacho juntamente com o majericão fresco picado ou outra erva a gosto. Mexe-se bem até obter uma mistura macia.  Tempera-se de sal e pimenta. Serve-se com amor e saboreia-se com ternura.

Receita com algumas alterações, retirada da "Dica da Semana" de 3 de Maio de 2012.

07 maio 2012

Delícia De Moka

Uma sobremesa rápida, gulosa, económica e calórica, para dias em que precisamos de recuperar energias.

Ingredientes para 4 pessoas:
- 1 lata de leite condensado cozido
- 1 pacote de natas para bater
- 1 colher de chá de café solúvel

Preparação:
Numa taça deita-se o leite condensado, o café e mexe-se bem. À parte bate-se as natas até ficarem consistentes. Depois mistura-se as natas ao leite condensado. Divide-se em taças e vai ao frigorífico para gelarem bem. Decora-se a gosto com avelãs, raspas de chocolate ou come-se simples. Bem bom!

03 maio 2012

Eu Estive Lá!

Hoje acordei a pensar nisto...
Já passaram quase dois dias depois da tão falada polémica “Pingo Doce e a promoção no dia 1 de Maio (Dia do Trabalhador)”, mas muita tinta ainda corre.
No dia anterior ouvi um “zum zum”, e apesar de já ter feito as compras do mês, juntei mais duas mulheres e todas nos entusiasmámos umas às outras para irmos. Fomos cedo, como sempre vou às compras. Não alterei os meus hábitos. Às nove e pouco já estava numa loja Pingo Doce. Muita gente, nada de carrinhos, nem cestos, mas como qualquer outra mulher, fiz-me à estrada e tentei fazer umas boas compras.
Agora o porquê de eu hoje acordar a pensar nisto? Porque simplesmente achei patético os políticos falarem sobre isso, e fazerem deste, o assunto principal na Assembleia. Patético! Uma afronta ao dia do trabalhador diziam eles. Pois bem, eu estive lá e não vi desacatos, pancadaria e afins. Vi gente satisfeita, vi gente a comprar bens essenciais como: leite; massas; azeites; fraldas; carnes; peixes e por aí fora. Vi funcionários prestáveis, que provavelmente avisaram as suas famílias desta bombástica promoção.
Acho uma afronta a mim e a tanta gente, meia dúzia de tontas e tontos do Bloco de Esquerda e outros tantos partidos políticos falaram desta maneira, quando o grupo Pingo Doce, não fez mais que ajudar tantas famílias.
Não vi ninguém a abarbatar-se com carrinhos cheios de produtos de beleza ou bebidas alcoólicas, ainda troquei graçolas com pessoas que estavam nas filas e não passei por nenhum constrangimento. O único que passei, foi visualizar vezes sem conta, em todas as televisões generalistas e companhia, as mesmas imagens, às quais se agarraram para fazer uma notícia enganosa.
Quando no estado em que está o nosso Portugal, os políticos se preocupam com comemorações, quando tanta gente que conheço não tem direito ao emprego e daria tudo para poder dar-se ao luxo de trabalhar no dia 1 de Maio. Eu própria o faria! Pois não haveria melhor dia para comemorar trabalhando, ter direito a um posto de trabalho, salários a horas e quem sabe ter trabalho durante mais 26 anos até me poder reformar. O mais provável é que nem venha a ter direito de usufruir de qualquer espécie de reforma.
Com tantas “coisas” para se resolver em Portugal, andam a discutir as promoções do Pingo Doce. Patético! É a única palavra que consigo fazer sair da minha boca.
Todas nós mulheres temos a nosso cargo a economia doméstica. Porque em todas as casas se come do dia 1 ao dia 31 de cada mês, porque temos de aprender a fazer contas e a proporcionar à nossa família refeições completas. E porque estamos atentas às promoções, ao talões, cupões o que seja. Merecemos este dia! E eu só me apraz dizer: Epá grandas compraças! E se eu poder proporcionar à família no mês seguinte uma ida ao teatro, um jantar fora e um fim-de-semana num hotel com piscina interior, já valeu o sacrifício! Porque todas as famílias têm direitos!

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...