12 julho 2019

Sopa de peixe e frutos do mar

Adoro estas sopas com sabor a mar. Gosto mesmo! E gosto tanto que vou já partilhar com vocês antes mesmo de escrever a receita (já têm a receita), porque me custa sempre muito ver que continuam a visitar-me diariamente e esperam sempre uma receita nova. Obrigada leitores, vocês são a minha grande companhia! Bom fim-de-semana!


09 julho 2019

Quiche de alho francês e bacon

Nas refeições de sempre, as quiches estão presentes para salvar o meu dia. Fazem-se com quase tudo, desde que a base seja ovos, natas ou iogurte natural e queijo. A massa de compra facilita a maior parte do trabalho, embora feita em casa tenha outro gosto, como é óbvio. A de hoje tem alho francês e bacon, uma dupla perfeita para mim :).

03 julho 2019

Red fish no forno com alho francês

O peixe no forno para mim fica ali par a par com o bitoque. Adoro ambos! Quem não gosta? Eu gosto de comer praticamente de tudo. A idade alarga-nos o horizonte em quase tudo, e em quase todas as pessoas. Muitas claro que ficam pelo caminho e não conseguem ver a não ser só em frente. Elas é que perdem.
Para hoje tenho uma receita simples de Red fish no forno com alho francês, que lhe dá um toque mais especial. Eu cá gosto muito!


01 julho 2019

Fettuccine com manjericão e anchovas

Massa, molho e pronto, continua a valer-me nos dias em que não me apetece grandes refeições de peixe ou carne, ou pela preguiça de passar horas a preparar uma refeição mais composta.
Levo uma panela de água temperada de sal a ferver e enquanto preparo a massa, piso no meu almofariz de estimação uma mão cheia de folhas de manjericão e 4 ou 5 anchovas de conserva que sobraram de outra refeição de massa, sal grosso (pouco, que as anchovas são muito salgadas) para ajudar no piso e depois da pasta feita adiciono azeite em fio e vou mexendo.
Massa cozida "al dente" e molho pronto a abraçar a massa ainda quentinha. Eu gosto e vocês?


27 junho 2019

Frigideira de feijão manteiga com farinheira e ovos de codorniz

Agora que cresci percebo que todas as frases que a minha mãe me dizia, um dia iriam fazer sentido. Lembro-me que ela dizia que o que tivesse de ser meu, meu seria. Faz agora sentido, apesar de não acreditar em Deus, alguém me devolveu o que era meu, agora só não sei a quem agradecer e fico sempre neste impasse. Devia acreditar, devia muito, devia mesmo, seria um caminho mais fácil para mim, mas talvez Ele que muitos dizem que existe tenha guardado para mim algo e este caminho que levo faz parte disso.
Se alguém falar com Ele e se foi obra Dele, digam-lhe que eu agradeço-lhe por me ter devolvido o que me pertencia.
A receita de hoje é obra minha, uma misturada de sabores e culturas que desenrascou uma refeição bem saborosa.