18 julho 2018

Açorda de pescada (com sabor a camarão)

Quanto mais gostamos de cozinhar, menos comida desperdiçamos. Tudo pode ser aproveitado e utilizado mais tarde. As sobras do pão duro nem pensar irem para o lixo, faz-se croutons, pão ralado, pudim de pão, crostas com ervas aromáticas para dar vida à pescada ou uma bela açorda. Desta vez fiz com pescada e com caldo de camarão caseiro, outra utilidade para dar uso às cabeças e cascas do camarão em que usámos só o miolo. Uma açorda bem apetitosa com este pequeno segredo do caldo de camarão.


16 julho 2018

Paté de ovas de bacalhau com requeijão natural Saloio

Depois de uns dias de umas merecidas férias, é tempo de voltar a outras rotinas. Mesmo de férias fui cozinhando, porque dessa tarefa que me é tão prazeirosa não preciso cá de interregnos. É preciso alimentar a família e compor a mesa com pequenos mimos. Num dia fiz uma colorida salada de ovas e no outro um paté misterioso, mas bem saboroso e simples de se preparar, como se quer nos dias de férias (e nos outros também). Da salada de ovas "roubei uma" e a Saloio deu o seu contributo sempre inspirador nas minhas receitas com o seu requeijão natural Saloio, que é tão mas tão versátil na preparação dos patés e de tantas outras receitas que podem encontrar aqui no blogue.

Ingredientes:
- 1 ova grande de bacalhau cozida
- 3 colheres de sopa de requeijão natural Saloio
- 1 colher de sopa de coentros frescos picados
- azeite q.b.
- sal qb.b.
- pimenta moída q.b. (usei moinho mistura várias pimentas)

Preparação:
Retirar a pele da ova e desfazer com um garfo. Juntar o requeijão natural Saloio e misturar bem. Por fim juntar os coentros, temperar de sal e pimenta e um fio de azeite.
Servir decorado com pimenta e mais um fio de azeite a gosto, e acompanhar com pão, tostas, bolachas de água e sal, gressinhos, etc. Bom apetite!

11 julho 2018

Papas de aveia com mel, nozes e frutos silvestres

A aveia está na moda, é um facto, mas eu lembro-me desde sempre destas papas tão boas que ainda hoje como. É claro que noutros tempos comiam-se simples adoçadas com açúcar, e quase que aposto que a minha mãe punha uma casquinha de limão (tenho de lhe perguntar). Hoje em dia gosto de mimar as minhas papas com mel, nozes e frutos silvestres, e até tenho uma caçarola pequenina que faz pandant com a mini colher de pau que uso para as mexer. Cá em casa são só para mim, as papas de aveia e o Nestum com mel que ainda gosto de comer quando chega o outono.