26 abril 2012

Açorda de Bacalhau À Alentejana (À Minha Maneira!)

                          

A propósito dos meus homens dizerem que a mãe é tonta...
Conversa entre eles sobre o 25 de Abril de 1974.

Pai    : Sabes como se chama estas flores?
Filho : Claro que sei, são escravos! (diga-se cravos)
Pai    : ... O Saldanha Maia blá blá blá...(É Salgueiro Maia pá)
Filho : E o que são as Forças Armárias? (Não será Armadas?)
Mãe :  (a propósito do Almeida Santos a falar na TV) Olha o Saramago, mas pensava que ele já tinha falecido...
Pai: Carla estás a falar a sério?
Mãe: Claro que não! Desta vez não!

Meus meninos, têm de comer muita açorda para ficarem tão tontos como eu. Eu não sou tonta, sou distraída! Mas eles adoram gozar comigo.

Ingredientes:
- Bacalhau
- Pão Alentejano
- Ovo
- Coentros
- Alho
- Sal
- Azeite

Preparação:
Cozer o bacalhau, lascar e reservar. Na mesma água da cozedura escalfar os ovos. Retirar e reservar. Colocar os coentros picados, o dente de alho esmagado, um fio de azeite, rectificar o sal e deixar ferver na mesma água.  Empratar colocando as fatias de pão alentejano ou similiar, as lascas de bacalhau, o ovo e por fim o caldo com os coentros. Servir de imediato. Bjs a todas/os.

Não deixo quantidades, pois acho que este é daqueles pratos que não interessa pesar ou medir, faz-se com o que se tem em casa. Mais pão, menos bacalhau, o mérito é dos coentros e do alho. Pode-se usar pão duro que até fica melhor.

12 comentários:

  1. Sendo Alentejana, nunca me nego a açordas, e que dizer desta tua de bacalhau Carla hummm , já a dar-me água na boca e a sentir o cheiro dos coentros (melhor mesmo só a de poejos, já experimentaste?), espero que sim,

    beijinhos!!

    ResponderEliminar
  2. Adoro açorda de bacalhau à alentejana! E é coisa que não como há imenso tempo, e a tua ficou com óptimo aspecto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Olá, Carla!Mas o que não seria dos outros sem as nossas distrações(eu junto-me ao clube), o mundo até nem teria tanta graça! Garanto que não te distraíste a fazer esta bela açorda, até sinto o cheirinho!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Adoro todos os tipos de açorda! ficou com um aspecto DELICIOSO!
    Deixo aqui o meu blog http://1000sabores1000maneiras.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Peço desculpa, mas açorda à alentejana não se faz assim. Está tudo certo até à parte de escalfar/cozer os ovos. Há regiões no Alentejo onde se come com ovo cozido e não com ovo escalfado. Portanto, pode-se cozer o bacalhau e o ovo ao mesmo tempo. De seguida, num almofariz, pisam-se os alhos, os coentros(ou poejos) e o sal grosso, formando uma pasta. Deita-se esta pasta numa terrina e rega-se com azeite. De seguida-se escalda-se esta pasta com àgua a ferver onde se cozeu o bacalhau. Migam-se as sopas, ou seja, partem-se fatias de pão para dentro da terrina e serve-se conforme o gosto de sopas mais duras ou sopas mais moles ;)

    ResponderEliminar
  6. Obrigada pelo seu comentário. É sempre bom emendarmos os nossos erros. Eu não sou alentejana, mas de tantos livros que tenho foi assim que sempre aprendi a fazer na maioria dos livros. Mas não haverá várias maneiras de fazer? É como a caldeirada, há umas que levam pimentos outras não. O importante é estarmos abertos a tudo e seguir as regras, não pondo de parte as nossas regras. Pois no Alentejo usa-se muito os poejos, é um facto, e não é novidade para mim, mas também se usa os coentros, e eu fiz a minha opção. Mas, não ponho de parte a sua.

    ResponderEliminar
  7. Mal, está mal. A verdadeira receita da açorda alentejana embora parecida não é assim.
    Dennis tem razão, a açorda é mesmo como diz.
    Pessoalmente escalfo os ovos um por um separadamente em água com um bom golo de vinagre. Esta água não se aproveita. Os ovos ficam mais bonitos e o sabor levemente avinagrado em nada estraga a açorda. Para os ovos ficarem ainda mais bonitos com um colher mexe-se a água de forma a pô-la a rodar e deita-se ovo por ovo dentro da espiral.
    Se quiser pode substituir os coentros por poejos, que pelo seu sabor forte se usam em menor quantidade ou então usar os coentros e os poejos juntos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela dica. Tenho mesmo de seguir a sua regra e a do Dennis senão ainda sou crucificada. Um dia com tempo coloco aqui as páginas digitalizadas de livros e revistas sobre açordas alentejanas e todos vão ver que há várias maneiras de as fazer. E cada um escolhe a sua ao seu gosto. O que importa é saboreá-las com todo o prazer.

      Eliminar
    2. Desculpem, mas não entendi. Onde entra o bacalhau?

      Eliminar
    3. Falha minha minha tem razão!!! Obrigada por me alertar. Já retifiquei.

      Eliminar
  8. No alentejo num local a receita faz se dumm modo na terra ao lado podesse fazer de outro modo. Nao deixa de ser alentejana a receita. Assim se passa com receitas de outras zonas do país. Gostei da sua receita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É assim mesmo, todos damos o nosso toque e desde que não se fuja muito à tradicional continua a ser alentejana. Pão, bacalhau, alhos, coentros e azeite e está feito.

      Eliminar

Comentem e critiquem à vontade. Estou aqui para partilhar e também para aprender. Apenas não serão publicados comentários sem serem assinados e desprovidos de sentido.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...