30 outubro 2014

Lombo De Porco Com Tomilho E Batatas Com Alecrim No Forno


Não é só ao Domingo que os assados merecem destaque. Não há nada melhor num dia de semana, que o jantar ser colocado no forno enquanto se faz outras tarefas. Podemos fazer em menor quantidade para que seja mais rápido cozer e assim não fazer ninguém esfomeado esperar horas a fio. 

Ingredientes para 3 pessoas:
Para a carne:
- 500g de lombo de porco
- 3 dentes de alho (espremidos com utensílio próprio ou bem picados com a faca)
- 3 colheres de sopa de azeite
- 1 colher de sobremesa de pimentão doce
- 1 colher rasa de sobremesa de sal grosso
- 1 colher de sopa de sumo de limão
- pimenta moída q.b. (moinho mistura 5 pimentas)
- 2 hastes de tomilho seco
Para as batatas:
- 600g de batata pequena (usei roxa)
- sal grosso q.b.
- pimenta moída q.b. (moinho mistura 5 pimentas)
- 1 colher de rasa de chá de alecrim seco
- azeite q.b.

Preparação:
Fazer uma pasta com os ingredientes para a carne, à exceção do tomilho. Colocar a carne no tabuleiro de ir ao forno, massajar bem com a pasta e colocar o tomilho por cima (que deve ser untado com azeite para não queimar).
Lavar bem as batatas e deixar a casca. Cortar aos quartos. Temperar com sal, pimenta, alecrim, um fio de azeite e envolver bem. Adicionar as batatas junto à carne e regar tudo com mais um fio de azeite. Tapar o tabuleiro com papel alumínio. Levar ao forno pré-aquecido a 200º, aproximadamente 1 hora, ou até a carne e as batatas estarem tenras. Cerca de 15 minutos do final retirar o papel alumínio e deixar dourar da parte de cima. Servir o lombo em fatias bem finas com as batatas e espinafres salteados. Bom apetite!

28 outubro 2014

Salada De Ovas Com Maionese Caseira De Coentros

No sábado passado levei o "piolho encardido" a ver um filme português. Ele cresceu a ver filmes mais alternativos e adora cinema. O filme "Os gatos não têm vertigens" tem uma história de amor no seu verdadeiro sentido (muitas asneiras e frases obscenas que não estava à espera de ouvir, especialmente porque levei uma criança de 8 anos a ver), e toda a gente sabe que estas histórias agradam a todos. Fazem-nos pensar e a mim tocam especialmente, pois toda a vida vivi de amores improváveis e impossíveis. Querem um exemplo? A minha sogra é a minha melhor amiga. Hoje não saberia viver sem ela. Acho que por vezes nos esquecemos que há alguém pelo meio, um filho dela e um marido meu, que fica sempre em segundo plano entre nós. Depois do filme ficámos os dois tão nostálgicos que ligámos ao pai, na tentativa de arranca-lo à força do seu hobbie e continuarmos o programa de sábado a três. E assim foi, acabámos o sábado os três, num final perfeito à filme: e  viveram felizes para sempre...
Eu sei, eu sei, estão a pensar que para um filme com um final tão feliz, merecia uma receita à altura. Mas quem é que disse que esta receita não é especial para mim? Foi das primeiras coisas que aprendi a fazer com a minha mãe, foi maionese, e ovas de bacalhau também fizeram parte desses tempos.

Ingredientes para 4 pessoas:
Para a salada:
- 400g de ovas de bacalhau congeladas
- 800g de batatas
- 4 ovos
- 2 pimentos vermelhos
- 3 tomates grandes
- 1 frasco de grão cozido
- azeitonas pretas q.b. para decorar
Para a maionese:
- 1 ovo (usei tamanho M)
- sal fino q.b.
- algumas gotas de vinagre de vinho branco
- cerca de 120ml de azeite (de sabor suave)
- 3 colheres de sopa de coentros frescos picados

Preparação:
Cozer as ovas separadamente em água temperada de sal, até ficarem com uma cor opaca. Escorrer e cortar às rodelas. Cozer os ovos e as batatas (já cortadas aos cubos) em água temperada de sal. Escorrer e cortar os ovos também aos cubinhos, bem como o tomate. Assar os pimentos, retirar a pele e sementes, e cortar às tiras. Passar o grão por água e escorrer. Para a maionese, colocar o ovo, uma pitada de sal e algumas gotas de vinagre, no copo da varinha mágica ou similar. Ligar a varinha e verter o azeite em fio. (Poderá ou não ser necessário adicionar mais azeite, até atingir a consistência desejada). Acrescentar os coentros picados e envolver bem. Servir a salada com a maionese de coentros e decorar com azeitonas. Bom apetite!

27 outubro 2014

Peixinhos Da Horta Com Molho De Iogurte E Hortelã (À Minha Maneira)


Estava aqui a pensar com os meus botões, na minha rebeldia culinária. Apesar de gostar das tradições, a verdade é que passo a vida a contrariá-las. Se me apetecer comer açorda de marisco na consoada, ninguém me vai impedir. Se me apetecer festejar o halloween com papas de aveia, sem terem abóboras ou corante laranja, também ninguém me vai obrigar do contrário. E se me apetecer comer uns peixinhos da horta cortados ao meio, com um polme diferente do habitual e ainda um molho menos provável, assim o farei. Pois é assim que vejo a minha culinária. Uma mistura confusa de mim, com os ingredientes que disponho em casa, com a vontade de arriscar e mais ainda de contrariar. Gosto de ser livre e serei sempre um pássaro sem gaiola, aliás, só fico na gaiola se me deixarem sempre ser livre, ou seja, a porta sempre aberta.

Ingredientes:
- 500g de feijão verde
- óleo para fritar q.b. (usei óleo de girassol)
Para o polme:
- 150g de farinha de milho
- sal fino q.b.
- 1/2 colher de café de pimenta preta móida
- 1/2 colher de café de cominhos moídos 
- 1/2 colher de café de noz moscada moída
- 1 colher de chá de paprika
- 200ml de água tépida
Para o molho:
- 2 iogurtes naturais
- sal fino q.b.
- azeite q.b.
- pimenta moída q.b. (moinho mistura 5 pimentas)
- 2 colheres de sopa de hortelã fresca picada
- algumas gotas de limão

Preparação:
Arranjar o feijão verde cortando as pontas e o fio lateral de ambos os lados. Cortar o feijão ao meio no sentido horizontal e depois no sentido longitudinal.Colocar em água a ferver temperada de sal e deixar sem tampa, até ficarem tenros, mas ainda firmes. Escorrer bem.  Para o polme, peneirar para uma taça larga todos os ingredientes secos e misturar bem. Adicionar a água e mexer com a vara de arames até estar tudo bem ligado. Numa frigideira aquecer o óleo até estar bem quente. Passar o feijão verde pelo polme e fritar em pequenos montinhos. Fazer poucos de cada vez para não arrefecer o óleo. Escorrer em papel absorvente. Para o molho de iogurte basta misturar bem todos os ingredientes. Servir os peixinhos da horta acabados de fazer e acompanhar com o molho. Bom apetite! Atrevam-se a experimentar.

24 outubro 2014

Sopa De Cebola (Quase À Francesa)


Nada como acabar a semana com uma sopa. Pois neste fim de semana quero "enfrascar-me" de guloseimas e comida bem boa. Esta malandra deu algum trabalho a fotografar, e não fiquei nada satisfeita, mas tenho que partilhar a receita de tão ridícula e saborosa que é. Têm cebolas em casa e não vivem sem elas, tal como eu? Baguetes do dia anterior? Queijos ralados a precisarem de ser consumidos? Há por aí manteiga? E farinha quem não tem?! Então 'bora lá desmitificar que a sopa de cebola é coisa para dizer "belhec"! E sopa de cebola faz-me lembrar Paris. Já fui tão feliz lá...

Ingredientes para 2 pessoas:
- 2 colheres de sopa de manteiga
- 500g de cebolas (cerca de 2 grandes) cortada às rodelas finas
- 1 colher rasa de chá de açúcar (usei amarelo)
- 2 colheres cheias de sopa de farinha de trigo sem fermento
- 800ml de caldo de carne (usei de frango e caseiro)
- sal q.b.
- pimenta q.b.
- fatias de baguete q.b.
- queijo cheddar ralado q.b. (usei mistura já ralada de 3 queijos, incluindo cheddar)

Preparação:
Levar um tacho ao lume com a manteiga. Deixar até derreter e ficar com um tom dourado. Acrescentar as cebolas e refogar em lume brando cerca de 15 minutos ou até estarem bem macias. Adicionar o açúcar e a farinha e envolver bem até alourar. De seguida acrescentar o caldo já quente. Temperar de sal e pimenta a gosto. Mexer bem e deixar ferver tapado, cerca de 30 minutos. Levar ao forno pré-aquecido a 180º, uma ou duas fatias para cada sopa, de baguete com o queijo ralado por cima, até ficarem douradas e o queijo derretido. Servir a sopa quente e com as fatias de pão. Bom fim de semana!

22 outubro 2014

Panna Cotta De Hortelã Com Cobertura De "Dulcis De Ananás"


O bom de um dia mau, é saber que terei no dia seguinte, um dia novo a estrear, como uma tela em branco por pintar. Portanto, calha bem para começar o dia, esta sobremesa simples de preparar e com ingredientes comuns nas nossas dispensas. A Dulcis, Lda deu uma ajuda preciosa com a cobertura pronta a usar, e a combinação foi perfeita. 

Ingredientes para 4 pessoas:
- 3 a 4 pés de hortelã 
- 100ml de leite
- 3 folhas de gelatina incolor
- 200 ml de natas
- 6 colheres de sopa de açúcar  refinado
- 200g  de "Dulcis de Ananás"

Preparação:
Lavar e separar as folhas de hortelã, e levar a ferver com o leite. Triturar bem no liquidificador. Hidratar as folhas de gelatina numa taça com um pouco de água. Levar as natas, o açúcar e o leite com a hortelã, até fervilhar. Baixar o lume e adicionar a gelatina escorrida. Mexer até estar bem dissolvida. Desligar o lume e dividir por 4 "potes" individuais. Depois de arrefecido, cobrir com colheredas de Dulcis de ananás. Levar ao frigorífico de um dia para o outro ou até solidificar. Decorar com folhas de hortelã e servir bem fresco. Bom apetite!

21 outubro 2014

Pão Doce Com Sementes, Tâmaras E Avelãs


Eu tinha um sonho. Um sonho que demorou 4 anos a estruturar-se na minha cabeça. Um sonho em que incluí outra pessoa, para que juntas fizéssemos um trabalho inesquecível e memorável. Um sonho que começou a materializar-se assim que pensei nele mais a fundo e tomei medidas para tal, e na hora que estava prestes a dedicar-me a 100%, levei um valente chuto no rabo. E mais uma vez descobri por mim própria, que não devemos incluir ninguém nos nossos sonhos. Devemos estar sempre por nossa conta e assim limitar os nossos objetivos a par das nossas próprias limitações para os concretizarmos.
Hoje estou de luto. Hoje chorarei um rio por este sonho demorado e inacabado. Hoje enterrarei um passado de 4 anos a trabalhar para esse sonho. Hoje vesti-me de uma cor improvável e com brincos a condizer. Hoje mudei de óculos, para uns que estavam  guardados no fundo da gaveta e que nunca uso. Hoje mudei de mala, para aquela velhinha oferecida por uma pessoa especial. Hoje carreguei a maquilhagem, para que ninguém descobrisse por fora, a dor que trago por dentro. Hoje o meu silêncio grita tão alto, que não ouço mais nada nem ninguém. Hoje chorarei escondida, embrulhada nesta deceção que trago no peito. Hoje enterro finalmente este sonho de uma vez por todas. Este sonho que pateticamente incluí outro alguém. Mesmo assim, esse alguém não ouviu da minha boca, o tamanho da minha desilusão. Hoje olhei-me ao espelho e já não vejo o rosto de menina ingénua que tanto me caracterizava.  Hoje não apanharei os cacos deste meu coração estilhaçado. Hoje tomei a decisão definitiva que não volto a acreditar. Acabou. Amanhã sacudirei o pó das minhas mãos e voltarei a sonhar com este objetivo e desta vez não incluirei ninguém.

Ingredientes:
- 400g de farinha de trigo tipo 65
- 100g de farinha integral
- 50g de tâmaras sem caroço
- 50g de avelãs
- 2 colheres de sopa de sementes de linhaça castanha
- 2 colheres de sopa de sementes de papoila
- 2 colheres de sopa de sementes de sésamo
- 2 colheres de sopa de flocos de aveia
- 1 colher de chá rasa de sal fino
- 5g de fermento padeiro seco
- 2 colheres de sopa de mel
- 350ml de leite morno
- azeite para untar

Preparação:
Colocar os ingredientes secos, à exceção do fermento, numa taça grande e misturar bem. Verter esta mistura na bancada da cozinha e abrir um buraco no meio. Colocar o fermento, de seguida o mel e o leite aos poucos. Misturar de dentro para fora, para o leite não sair. Amassar com as mãos cerca de dez minutos até a massa começar a ficar um pouco elástica e formar uma bola. Deixar levedar numa taça untada com azeite, tapada com um pano ou película aderente. Deixar num local quente cerca de duas horas ou até dobrar de volume. Colocar papel vegetal numa forma "tipo" inglês e verter a massa, sem mexer muito nela, dentro da forma. Pincelar com água por cima e polvilhar com algumas sementes. Deixar descansar a massa mais meia hora. Levar ao forno pré-aquecido a 180º, aproximadamente 35/40 minutos. Colocar uma taça pequena com água no tabuleiro do forno para ajudar a criar vapor e o pão ficar com uma crosta mais estaladiça. Desenformar de imediato e deixar arrefecer antes de fatiar.




20 outubro 2014

Lombos De Pescada Com Crosta De Broa De Milho E Bacon E Grelos De Nabo Salteados Com Migas De Broa E Bacon


Quando deixei na passada sexta-feira, os lombos de pescada a descongelar no frigorífico durante o dia, não fazia a mínima ideia de como eles iriam parar ao prato à noite. É por isso que eu nunca me darei bem com listas de menus semanais. Já tentei, mas sinceramente, comigo não funciona, pois sinto-me presa, e estar presa é coisa para me deixar muito angustiada. Gosto de ir ao sabor do vento, e as poucas vezes que fiz a lista contrariei-a sempre, assim numa espécie de "quem manda sou eu pá", e isto apesar da lista ter sido elaborada por mim. Portanto, foi ao sabor do vento, que decidi usar o que havia lá por casa. Sobras de broa de milho e bacon, e grelos de nabo no congelador.  E assim começamos a semana.

Ingredientes para 4 pessoas:
- 400g de lombos de pescada congelados
- 800g de grelos de nabo congelados
- 1 fatia grossa de broa de milho
- 75g de bacon às tiras pequenas (ou fatias inteiras)
- 2 colheres de sopa de colheres frescos picados
- 1 dente de alho
- sal q.b.
- pimenta moida q.b. (usei moinho mistura de várias pimentas)
- azeite q.b.

Preparação:
Depois de descongelados e bem escorridos, colocar os lombos na travessa de ir ao forno, temperar com sal e pimenta.
Numa frigideira grande, levar o bacon a tostar sem adicionar qualquer gordura e deixar a escorrer em papel absorvente.
No robot de cozinha, colocar a broa partida aos pedaços, o bacon já tostado, os coentros e o dente de alho, e triturar até ficar em migalhas generosas.
Colocar uma camada do preparado anterior em cada lombo de pescada, pressionar e regar com um fio de azeite cuidadosamente. Levar ao forno pré-aquecido a 180º, aproximadamente 20/25 minutos.
Na mesma frigideira adicionar um fio de azeite e levar o preparado da broa que sobrou a dourar um pouco. Para de seguida adicionar os grelos descongelados e escorridos, e saltear até ficarem tenros. Retificar o tempero de sal e pimenta. Servir os grelos com os lombos de pescada. Boa semana!

16 outubro 2014

Entrecosto Com Grão À Moda Da Mãe Beta (Ou Simplesmente Granada)






Há pratos que nos abraçam, sem terem mãos. Há pratos que nos beijam, sem terem lábios. Há pratos que nos aconchegam a alma. Há pratos que nos dizem ao ouvido: vai tudo correr bem! Há pratos inesquecíveis, mesmo que de simples se componham os seus ingredientes. Há pratos que cheiram a memórias, aquelas intensas, as quais guardamos no baú de madeira das recordações até rebentar. Há pratos que nos lembram a boa infância que tivemos noutros tempos. Tempos grandes nas nossas vidas, que queremos trazer a todo o custo para o presente. Há pratos que jamais sairão da minha vida e não é à toa que aos 41 anos continuo a achar que onde se come bem é na casa da mãe!

Ingredientes:
- 250g de grão seco
- 800g de entrecosto partido aos pedaços pequenos
- sal q.b.
- pimenta branca moída q.b.
- pimentão doce q.b.
- azeite q.b.
- 1 chouriço de carne à rodelas
- 1 cebola picada
- 1 dente de alho picado
- 1 folha de louro
- 200g de tomate pelado aos pedaços enlatado
- 100ml de vinho branco
- 100ml de água
- 700g de batatas branca aos cubos médios
- 200g cenoura às rodelas
- 2 colheres de sopa de coentros frescos picados

Preparação:
Demolhar o grão durante 2 horas. Levar a cozer coberto de água na panela de pressão cerca de 20 minutos. Escorrer e reservar.
Temperar o entrecosto com sal, pimenta e pimentão doce a gosto. Levar um tacho grande ao lume com um fio de azeite e selar os pedaços de carne de ambos os lados, retirar e reservar. No mesmo tacho, fritar o chouriço, retirar e reservar. Levar a cebola e o alho a refogar no mesmo tacho, juntamente com a folha de louro. Adicionar o tomate pelado e deixar até reduzir um pouco. Refrescar com o vinho branco e deixar até evaporar o álcool. Voltar a colocar o entrecosto e o chouriço no tacho, e adicionar a água (ou caldo de carne e de preferência já quente). Tapar e deixar a fervilhar cerca de 15 minutos ou até a carne estar tenra. Retificar os temperos. Acrescentar as batatas e a cenoura e deixar ao lume até os legumes estarem macios. Adicionar o grão e envolver tudo. Desligar o lume, adicionar os coentros picados e envolver. Servir quente e com boas memórias. Bom fim de semana!

13 outubro 2014

Mini Quiches De Salmão




Hoje foi um dia brutal. Superei mais um desafio. O desafio de controlar estes meus nervos e ansiedade, esta minha insegurança, e esta desacreditação na minha pessoa. Hoje foi o dia que estive sentada "à mesa" com 7 dos melhores chefes portugueses e 1 crítico gastronómico (acho que estou a dizer bem) e foi brutal! Ouvir todas as criticas para aprender a melhorar, já foi o 1º prémio para mim.  Guardei todos os pormenores que ouvi a sete chaves, para poder usá-los mais tarde. Hoje superei todas as minhas expetativas pessoais em relação à pessoa que me tornei. Poder estar com pessoas que sabem o que eu devo sentir, por ter esta paixão pela culinária, foi o ponto alto deste meu ano conturbado.

Ingredientes para 8 unidades:
- 1 posta média de salmão
- 1 placa redonda de massa quebrada 
- 200ml de nata com salmão
- 3 ovos L
- sal fino q.b.
- pimenta preta moída q.b.
- 1 colher de chá de endro seco
- 2 colheres de sopa de coentros frescos picados
- manteiga para untar as formas

Preparação:
Temperar o salmão com sal e pimenta. Grelhar de ambos os lados em chapa bem quente. Retirar a pele e espinhas, e desfiar. Desenrolar a placa de massa e com um aro redondo de cozinha, cortar a massa em 8 círculos.  Untar com manteiga 8 formas pequenas de empadas e sobre elas colocar delicadamente os círculos de massa. Numa taça misturar bem a nata com os ovos. Adicionar o salmão, o endro e os coentros. Temperar de sal e pimenta, e misturar. Dividir este preparado pelas formas, enchendo-as até cima. Levar ao forno pré-aquecido a 180º, aproximadamente 25 a 30 minutos. Desenformar e servir quente, morno ou frio. Bons cozinhados!

09 outubro 2014

Creme Aveludado De Tomate com Ovo Escalfado










Uma receita simples, que serviu para participar num passatempo, e que teve a mãozinha do "mais-que-tudo" na imagem. É claro que nunca estamos de acordo, mas no meio do desacordo foi o que se conseguiu arranjar.

Ingredientes para 2 pessoas:
- 3 colheres de sopa de azeite virgem
- 1 cebola roxa
- 1 dente de alho
- 1 folha de louro
- 1 colher de chá de paprika
- 500g de tomate cacho
- 400g de courgette
- 500ml de água
- 1 colher de chá de sal grosso
- 1 pitada de pimenta branca moida
- 2 ovos tamanho L
- vinagre de vinho branco q.b.
- cebolinho fresco picado q.b.

Preparação:
Numa panela com o azeite, levar a refogar a cebola e o alho picados, juntamente com a folha de louro. Adicionar a paprika e mexer durante alguns segundos. Escaldar o tomate em água a ferver, retirar a pele, as sementes e picar. Adicionar o tomate ao refogado e deixar em lume médio até ficarem bem macios, para de seguida acrescentar a courgete sem casca e cortada aos cubos, e a água que deve já estar quente. Deixar a ferver cerca de 10 minutos ou até os legumes estarem bem tenros. Temperar de sal e pimenta. Triturar com a varinha mágica ou no liquidificador e passar pelo coador para obtermos um creme aveludado.
Levar uma panela pequena com água e um pouco de vinagre de vinho branco ao lume, até ferver. Com uma colher rodar a água até fazer remoinho e colocar o ovo cuidadosamente lá dentro cerca de 4 minutos. Retirar e repetir a operação. Servir a sopa quente com o ovo escalfado e polvilhar com cebolinho fresco picado. Bom fim de semana e sejam felizes, que a vida é bem curta para chatices! (acho que isto rimou)

07 outubro 2014

Argolas Do Mar Fritas E Molho De Iogurte Grego


A verdade é que as coisas não estão fáceis para mim, e nestes dias decidi abrandar o ritmo para recuperar o meu equilíbrio. A saúde está a dar sinais que devo abrandar e eu estou a fazer-lhe a vontade. Há solução para tudo menos para a morte, como sempre ouvi a minha mãe dizer. Por isso, nada como fazer uma receita simples, que apesar de ser frita, usei um óleo mais saudável e dias não são dias. Sou uma pessoa simples e que dá valor às coisas boas e simples da vida, como um abraço apertado ou um miminho de uma das minhas companheiras dos workshops, que me presenteou com este prato para as minhas receitas, e me confessou que é leitora assídua d' O Meu Tempero, o que me lisonjeou muito. Obrigada Paula!

Ingredientes:
- 400g de argolas do mar (usei Pescanova)
- óleo de amendoim ou girassol para fritar q.b.

Para o polme:
- 150g de farinha de trigo sem fermento (usei Tipo 65)
- sal fino q.b.
- pimenta moída q.b. (usei moinho 5 pimentas)
- 1 colher de sobremesa de salsa seca
- 1 colher de chá de açafrão das Índias (curcuma)
- 200ml de água tépida
- 1 gema (usei tamanho L)

Para o molho de iogurte:
- 1 iogurte grego natural sem açúcar
- sal fino q.b.
- pimenta moída q.b. (usei moinho 5 pimentas)
- salsa seca q.b.
- um fio de azeite

Preparação:
Descongelar as argolas naturalmente e deixar a escorrer se necessário. Numa taça grande, peneirar a farinha e misturar com o sal, a pimenta, a salsa e o açafrão. Adicionar a gema e a água aos poucos e mexer com a ajuda de uma vara de arames. Colocar o óleo a aquecer e quando estiver bem quente, fritar as argolas (colocar poucas de cada vez)  já mergulhadas no polme, até ficarem douradas e estaladiças. Para o molho de iogurte basta misturar bem todos os ingredientes. Servir de imediato, acompanhadas do molho e de gomos de limão, de arroz basmati e uma salada verde variada. Bom apetite!

03 outubro 2014

Esparguete (Sem Gluten) Com Camarão, Mexilhão E Ameijoa

Esta será a única receita desta semana, pois apesar de achar que chego a todo o lado, como qualquer mulher, daquelas de fibra e com "M" grande, tive que dedicar-me a outros projetos que também irão fazer-me muito feliz. Ontem a Milaneza parece que adivinhou e quando cheguei ao escritório tinha este mimo à minha espera. Como sou uma pessoa que dá muita importância aos pormenores, achei a apresentação muito ternurenta, cuidada e com a mensagem que devemos nos alimentar bem, consumir produtos frescos e naturais. Ao jantar e indecisa com o que preparar, pensei logo usar o esparguete sem gluten, feito a partir de farinha de milho. Apesar de lá por casa ninguém ser intolerante ao gluten, gosto de ir variando nas farinhas nos pães, bolos, salgados  e bolachas que faço, para assim equilibrar a dieta. Gostei bastante da textura que este esparguete conferiu ao molho, dando a cremosidade que eu estava à espera.



Ingredientes para 4 pessoas:
- 350g de esparguete sem gluten Milaneza
- 600g de camarão congelado tamanho 20/30 (cerca de 16 unidades)
- 125g de miolo de mexilhão congelado
- 125g de miolo de ameijoa congelada
- 1 cebola picada
- 1 dente de alho picado
- 1 folha de louro
- 4 colheres de sopa de polpa de tomate
- 100ml de vinho branco
- 1 colher de café de paprika
- azeite q.b.
- sal q.b.
- 1,5 l de água da cozedura do camarão
- 1 pequeno molho de coentros frescos picados

Preparação:
Cozer os camarões (mesmo congelados) em água a ferver e temperada de sal. Descascar e reservar as cascas, cabeças e a água da cozedura. Triturar no copo liquidificador, as cascas e cabeças do camarão com cerca de 1,5 l da água da cozedura. Coar e reservar.
Num tacho grande com um fio de azeite, levar a cebola, o alho e a folha de louro a refogar. Acrescentar a polpa de tomate e deixar apurar 1 minuto, para de seguida refrescar com o vinho branco e deixar até este evaporar. Adicionar o caldo que se reservou e a paprika. Deixar levantar fervura e acrescentar o esparguete. A meio da cozedura, adicionar o miolo de mexilhão e ameijoa entretanto já descongelados. Colocar a tampa para ir criando vapor e não deixar a massa secar. Depois de cozida, desligar o lume, adicionar os camarões, os coentros e envolver bem. Servir de imediato. Bom fim de semana.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...