19 março 2011

As Minhas Ricas Cebolas


Tem dias que me fazes chorar, tem dias que me fazes rir, tem dias que andas queimada, outros deslavada. Tem dias que ficas uma matrafona mal picada, outros nem estás para aí ralada. Deixas-me os nervos em franja quando foges da Janota e queres andar para ali em pelota. És uma doida, enrolas-te com o alho e pões-te debaixo do louro para ele não contribuir com o seu aroma, e se ponho duas folhas ficas invejosa.
Pequenina és charmosa, grande ficas vaidosa, até grelada és boa. Desesperas-me quando só tenho um exemplar da tua raça. Corto-te ao meio ou corto-te aos quartos? Pergunto-me. Embrulho-te em papel celofane e guardo-te na fila de trás e escrevo num papelinho: “NÃO MEXER!”. Não vá alguém querer devorar-te crua com o iogurte e os cereais, ou entrar uma grávida por aqui a dentro e dizer-me: "ESTOU COM DESEJOS!”
Tem dias que adoro o teu cheiro, outros que me agonias, mas morro se não estás lá!
E hoje dei comigo a pensar nisto, só porque me esqueci-me de por rímel...

1 comentário:

Comentem e critiquem à vontade. Estou aqui para partilhar e também para aprender. Apenas não serão publicados comentários sem serem assinados e desprovidos de sentido.

Printfriendly

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...