03 julho 2015

Gaspacho alentejano

Eu prefiro gaspacho assim, já ele gosta mesmo é do alentejano. Depois de quase um mês a pedinchar-me, ontem foi dia de lhe fazer a vontade. Bem fresquinho, bem temperado, bem económico e bem fácil de fazer, com a maioria dos ingredientes que temos sempre em casa. Tenho impressão que lhe vou fazer mais vezes este verão. Agora um reparo, sabem que desde que tiro a casca ao pepino, tenho menos problemas com a digestão e não só? Toda a vida deixei um pouco da casca, porque toda a gente dizia que se devia fazer assim, mas eu cá acho que temos de pensar pela nossa própria cabeça, experimentar o "outro lado" e descobrir o que realmente nos faz melhor.


01 julho 2015

Conchas gigantes recheadas com frango e courgette

Já há muito tempo que não fazia conchas recheadas. O puto adora estas massas gigantes recheadas com qualquer coisa, "salpicadas" com queijo ralado e forno com elas. Não tem nada de transcendente fazê-las, é pôr mãos à obra e rapidamente recebo um sorriso e um obrigada pelo prato que lhe fiz. É verdade, este puto agradece-me sempre quando faço um prato que ele gosta, de uma forma muito carinhosa, que eu acho mesmo que não era preciso. Pois eu estou cá para isso! Para o ajudar a construir memórias, sejam elas de comida, lugares, experiências novas e tudo de bom que eu e o pai lhe pudermos mostrar.















30 junho 2015

Salada mista de atum com molho de iogurte e coentros

Não há qualquer dificuldade para mim, preparar refeições rápidas e que agradem lá em casa. Eles adoram estas saladas em que cada um serve o que gosta. Há sempre tanta dúvida na escolha, mas a piada é que acabam por colocar um pouquinho de tudo no prato e depois adoram finalizar com este molho bem simpático de iogurte que substitui os molhos de maionese. Mas hoje especialmente escolhi esta salada para mimar duas leitoras que ontem não simpatizaram tanto com as lulas. Estamos no verão, queremos pratos mais leves e práticos e espero bem que elas apreciem, senão fica para amanhã outra receita até elas estarem contentes, porque da minha mesa ninguém pode sair insatisfeito.


29 junho 2015

Espetadas de lulas com pimentos e tomate cereja

Um destes dias, daqueles em que as gavetas do congelador vão ficando quase vazias, decidi que era altura de utilizar as lulas congeladas que foram ficando para trás. Como sempre, decido tudo à última da hora, e até serem transformadas em espetadas, passaram por lulas recheadas, grelhadas ou em jardineira. Lá em casa tenho um grande apreciador de lulas, por isso fiz os possíveis  para animar e colorir esta refeição. Embora sejam pequenas e não tão boas como as grandes e frescas, a vontade de agradar era maior, e acho que não me sai nada mal, porque às vezes menos é mais. Complicar para quê?


26 junho 2015

Mousse De Creme De Limão

E que bom que é receber um sms logo pela manhã cedo de uma das minhas amigas de longa data, a Lena. Pois que sonhou que eu tinha ganho uma estrela Michelin e que lhe tinha dito que agora a minha vida fazia sentido. É claro que foi um mimo tão bom, ela me incluir nos seus sonhos e ainda por cima escolher um final tão feliz para mim. É claro que eu tinha de estudar muito, comer muita açorda e pão com codea para algum dia isso acontecer. É claro que nesta fase da minha vida eu não sonho com isso, nem faço por isso, porque não sou assim tão segura de mim e não me acho assim tão boa. Mas é claro que o que me interessa, é que eu tenho poucas mas boas amizades, e ao fim de tantos anos, elas ainda me querem tão bem e nunca me desiludem. Obrigada miúdas! Obrigada Lena, Monica e Patrícia. Apesar de vocês nem se terem apercebido, este ano fizeram-me acreditar de novo no Mundo, e voltar a abrir o meu coração para a humanidade, e se há coisa que eu não abro mão é de vocês! Hoje a sobremesa é para elas, como prova da minha amizade, e apesar de me ter "perdido por ai", elas fizeram-me voltar e a minha amizade será sempre transparente e sem cobranças, tal como devem ser as amizades. E hoje pareço um peru inchado, bem recheado com amizade.


24 junho 2015

Truta salmonada em papelote com sementes de funcho

Ao fim de semana gosto sempre de pôr um grande peixe no forno, e assim receber o "mais-que-tudo" para jantar à vinda do seu novo curso. Chegue a que horas chegue, eu e o "piolho encardido" esperamos pacientemente por ele, enquanto me vai enviado sms a contar os minutos que demora. Para poder dar toda a atenção ao "piolho", o jantar tem de ser prático e nada melhor que o forno sair limpo no final. Qualquer peixe ao sal ou em papelote é perfeito para mim. Acompanhámos com um cuscuz simples e bem aromatizado com várias especiarias.


23 junho 2015

Gelados de framboesas com iogurte grego

Têm saído muitos gelados da minha cozinha. A malta lá de casa já está a ficar muito mal habituada, e a culpa divide-se por todos. É minha porque adoro mima-los, e deles porque adoram come-los e experimentar novas combinações, e ficam tão contentes quando eu digo que tem gelado novo para provar. No meio de tanta caloria de natas, tenho de ser razoável e intercalar com uns gelados mais leves. Iogurte e framboesas, tão bom... Se preferirem um pouco mais saudáveis não juntem açúcar, nem mel, embora eu ache que o gelado docinho sabe bem melhor. Fica ao critério de cada um.


22 junho 2015

Bolinhos de coco (com farinha de milho)

Começo a semana com uns bolinhos secos tão fáceis de preparar, que nem me dei ao trabalho de usar a batedeira. Para as noites frias que o S. Pedro teima em nos oferecer, acompanhar o café ou chá com um bolinho simples é perfeito. Boa semana!


19 junho 2015

Gyosas de porco

A primeira vez que levei o meu amor pequeno ao Sushi, ele vibrou com a experiência. Comemos tanto, mais do que devíamos, além de que a conta não me agradou nada. Este pequeno homem já come como um adolescente com as hormonas saltitantes, por isso, decidi fazer em casa uma das entradas que ele adorou. Estes pequenos pastéis, bolinhos, raviolis japoneses, o que queiram chamar, são viciantes e não conseguimos parar de come-los. A primeira vez fiz 30 e cá em casa acharam pouco. Desta vez fiz 60 e concluímos que 80 era o ideal. São fáceis de fazer e praticamente o que custa mais é fechar a massa, principalmente se tiverem umas mãos desajeitadas como as minhas, mas nada que não se resolva, até porque a ASAE não entra cá em casa e esta é uma cozinha despreocupada e longe de ser perfeita, até porque eu tenho bem mais que fazer. 
Gosto de acompanhar com beterraba e nabo cortado o mais fino que conseguir, tal como nos servem no nosso restaurante preferido, e é uma maneira de por o "piolho encardido" a comer beterraba sem questionar nada. A receita foi inspirada no programa da Filipa Gomes (ver o vídeo como uma boa ajuda para perceberam como se fecha a massa), que, como sabem, sou fã n.º 1. Algumas alterações adaptadas aos ingredientes que dispunha e está feito. 

17 junho 2015

Picolés de laranja

Há dias que nos fazemos constantemente as mesmas perguntas. Um constante de comos e porquês? Dormimos, acordamos num dia a estrear, e as respostas às perguntas do dia anterior, que pensávamos serem tão pertinentes, deixam de ter importância. Prosseguimos o nosso caminho e ultrapassamos as dificuldades sem ferir ninguém, porque é assim que eu sempre serei.
A receita de hoje podia obviamente ser uma receita para totós, não trás qualquer dificuldade a não ser espremer as laranjas. Eu fui mais inteligente e usei 3 ingredientes: laranjas bem sumarentas, açúcar e "um piolho encardido" que espremeu as laranjas todas...


16 junho 2015

Camarão ao alhinho

Sexta feira passada foi o último dia de aulas do "piolho encardido". Foi uma festa e peras, com direito a arraial e muita alegria. Ufa... É só o que eu tenho a dizer deste último dia. Um grande ufa... Acabaram-se os tpc, o estudo para os testes, a preocupação dos horários, das lancheiras, da marcação dos almoços, dos dias das atividades e etc. E passámos de ano os três, porque no fundo foi um trabalho de grupo. Ufa... Férias escolares, yehhhhhhhhhhhhhhhh. Vamos comemorar com camarão? 'bora!

15 junho 2015

Gelado De Hortelã Com Pedacinhos De Chocolate

Depois de uns dias com o meu estaminé fechado para férias, regresso para partilhar mais receitas e outros disparates.
Esta é a quarta vez que faço este gelado, mas por várias razões, nunca houve espaço para registo fotográfico e quando houve, as fotografias não me convenceram. Escrevi a receita e esperei pacientemente pela altura certa.


03 junho 2015

Em banho-maria...

O Meu Tempero tirou férias. 
Volto em breve com mais receitas.
Aquele abraço apertado para todas e um até já.

Carla Sousa

29 maio 2015

Arroz doce de baunilha

Lá em casa já cheira a férias. Já se fazem planos, marcam-se hotéis e planeia-se muitas saídas de um dia inteiro. O "piolho encardido" já sonha com os 3 meses de férias, e tão bem merecidos, depois de um ano letivo cheio de trabalho. Apesar de ser um pirata, é com alegria que vamos sabendo do resultado do seu esforço tão positivo e que nos deixa tão cheios de orgulho, tão grande que nem cabe dentro de nós. Enfim, são as coisas boas da vida que nos fazem levantar da cama.
A receita de hoje é um arroz doce tão simples quanto bom, tão branco como eu gosto.


27 maio 2015

Gelado doce de leite com pedacinhos de bolacha

Lá por casa já me tinham pedido para fazer um gelado. O pai queria de café, o filho queria de baunilha, e eu queria experimentar o gelado doce de leite que já tinha até visto a Filipa Gomes fazer um. Já podem ver a quem fiz a vontade. A mim pois claro! Não houve amuos, nem reclamações e deixei no ar a promessa de lhes fazer a vontade em breve. 
Fazer gelados em casa não é mais económico que comprar no supermercado. Antes pelo contrário. Mas o prazer de podermos comer um gelado saído das nossas mãos e ao nosso gosto, é muito maior. Não vale sequer a pena ter uma máquina de fazer gelados em casa, pois desde que uso claras em castelo nos gelados não há cristais de gelo que se atrevam a "viver" no meu gelado.


26 maio 2015

Açorda de bacalhau e coentros

Depois de uns dias adoentada, volto às receitas. Desta vez com uma açorda. Quem diria que um dia eu iria gostar de açordas. Pois é... Em pequena não gostava mesmo nada, mas a idade apura-nos o gosto e não só. A idade dá-nos estrutura e capacidade para gostarmos de coisas que não gostávamos antes. A açorda também não reúne consenso entre as pessoas. Ou se adora, ou se odeia.

19 maio 2015

Salada de atum, grão e pimentos com azeite de manjericão

Na minha cozinha não há regras muito rígidas em cada estação do ano. Há sempre saladas durante o inverno e se me apetecer uma feijoada no verão, também a faço. Mas quando chegam estes dias bons e solarengos, que ansiámos o inverno inteiro, apetece-me aproveitá-los ao máximo, antes que se acabem.  As saladas fazem-se num ápice, dão um colorido bom à mesa e para estes dias são perfeitas. Mais uma receita a quatro mãos, com a ajuda do meu "ratatui".


18 maio 2015

Mini espetadas de camarão em marinada especial

Ainda continuo na "terapia" para aprender a partilhar a minha cozinha. E palavra de honra que tenho me portado bem. Prova disso são estes camarões que alegraram o nosso jantar de sábado em jeito de entrada com uma pequena salada, antes de irmos a correr aproveitar a noite e a entrada livre nos Museus.
O "piolho encardido" foi para a cozinha outra vez e participou entusiasmado como sempre e como um verdadeiro ajudante. Está contratado!


15 maio 2015

Pataniscas de atum

Quando fiz estas pataniscas há uns dias, não fazia a mínima ideia que as iria fazer. Sem nada descongelado para o jantar, sem nenhuma ideia na cabeça, mas com muita vontade de fazer uma comida de conforto, daquelas que nos abraçam bem apertado. Olhei para o frigorífico e tirei ovos, fui à dispensa e peguei nas latas de atum e fez-se luz na minha cabeça. Pataniscas de atum, para fugir das habituais de bacalhau. Se bem que são as meninas dos meus olhos, mas no fundo fui uma vira-casaca e agarrei-me às de atum. A acompanhar, um arroz bem malandrinho de tomate e pimento vermelho. Fiquei de coração cheio com esta refeição, e junto com uma sopa de espinafres e ainda couves de bruxelas salteadas com bacon fez maravilhas ao jantar. Bom fim de semana!


14 maio 2015

Legumes assados no forno com manjericão seco

Colocar legumes para assar no forno é coisa de criança. Basta abrir o frigorífico e escolher alguns legumes, cortá-los de várias maneiras e espessuras, dependo do seu tempo de cozedura e o gosto de cada um, temperar rapidamente escolhendo uma erva aromática fresca ou seca que faça "pandant" com o prato principal. Estes fizeram par perfeito com a truta salmonada de ontem, que também foi perfumada com manjericão, mas fresco. Podem misturar todos os legumes quando os levarem ao forno, ou separá-los para que seja mais fácil cada um servir os seus legumes preferidos e não andarem a escolher na travessa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...