19 Setembro 2014

Frango Assado No Forno (E Recordações De Infância)

Hoje levei um "ralhete" da minha prima Rute. Diz que tem vindo cá todos os dias e as receitas estão paradas. Ela é fã do meu tempero, o que me lisonjeia muito. Depois do "ralhete", vim para casa a correr vasculhar as receitas em lista de espera.
Enquanto vinha no caminho pus-me a pensar em como a família é importante. Manter perto de nós as pessoas que se encaixam bem em nós, é tão importante como um comprimido para a cabeça, quando ela nos dói.
Tenho no meu baú das recordações de infância momentos muitos bons, passados com a prima Rute e o meu primo Tiago. Momentos que os adultos teimam em quebrar porque não sabem aproveitar a vida e ser felizes como as crianças. Como as crianças que nós éramos. E éramos tantos primos, tantos que fiz uma pausa para contá-los e somos 17.
Cada um foi seguindo as suas vidas, fez as suas escolhas e depois tudo se perdeu, até um dia um telefonema a desejar bom natal aos meus avós paternos e ela estava lá. Tenho na memória que ela é que pediu para falar comigo, trocámos contactos e até hoje não nos largámos mais.
Deixámos de lado as quezílias dos adultos, aqueles mais adultos que nós somos agora. Quando falo com ela, sinto-me ainda aquela criança feliz e rodeada pelos primos, sem as complicações dos crescidos. E se os adultos soubessem o quanto é importante esta relação entre primos, talvez não quebrassem a corrente da vida, que era termos crescido juntos mais um pouco. Porque foi tão boa a minha infância, tão cheia de gente, de vida, de falta de luxo mas com amor a sobejar.
A minha prima Rute trouxe-me esses momentos outra vez.
Acho que já falámos de tanta coisa, que nada ficará por dizer se uma de nós hoje desaparecer.
Afinal ela lembra-se de coisas que no meu baú não guardei, e eu recordei-a de outras, que ela já tinha esquecido. Ao longo dos anos fomos construindo pouco a pouco, a relação que ficou interrompida. E é tão bom ter a minha prima Rute por perto. É tão bom ela saber do que falo, ela compreender aquilo que sinto. Ela lembra-me a minha irmã. 
Lembro-me como se fosse hoje, quando em miúda fui passar um fim-de-semana a casa dela. Lembro-me da alegria contagiante, dela a tocar tão bem órgão, do meu primo Tiago, o mais novo dos primos, de cabelo irrequieto e o seu ar traquinas, que ainda hoje quando penso nele vem-me à memória uma personagem do “Verão Azul”, que a malta da minha geração se lembrará de certeza, da minha tia na pequena cozinha mas tão cheia de amor maternal a preparar um saco cheio com pão e a fazer sandes de fiambre com manteiga, para irmos todos para a praia. Apanhei um escaldão nesse dia, até com herpes solar fiquei, mas nunca mais me esqueci desses momentos, que acompanham a nossa vida para sempre e nos tornam as pessoas cheias que somos hoje. Apetecia-me tanto perguntar à minha tia: Então tia ´tás boa? Lembras-te de mim?,  ou ao meu primo Tiago: Olá primo, sabes que foste o último dos primos, mas o primeiro dos desta banda também lhe dei o nome de Tiago? Continuas reguila? Sei que gostas de motas, proteges muito os animais, que és um tio espetacular e gostas da playmobil..., ao meu tio: Tio, sabias que eu também tive um mini amarelo como os teus?  E tu prima sabes que és o único elo que me sobrou desse lado, mas que me vale por muitos? Sei que fazes a mesma pergunta que eu: Porquê? Porquê os crescidos estragam sempre tudo, quando a vida nos dá uma família tão grande. Porquê, com o passar dos anos, a mesa de natal fica sempre mais pequena?
A receita de hoje é para os meus primos. Eu sei, eu sei, é uma receita tão simples... Mas, se hoje eu recebesse a visita deles, haveria muitos abraços para trocar, muita conversa para pôr em dia, muitas recordações para relembrar, e eu não teria tempo de fazer um jantar elaborado. Só me restava pôr um frango bem grande no forno, um tempero simples, mas mesmo assim especial e batatas fritas de pacote a acompanhar. Porque a puta da vida é para aproveitar bem e não perder tempo com mesquinhices. A vida é bela! (desculpem a asneira, saiu-me).

 Ingredientes para 4 a 6 pessoas:
- 1 frango grande
- 3 dentes de alhos espremidos com utensílio próprio ou bem picados com a faca
- 1 colher de sopa (bem cheia) de mostarda
- 1 colher de sobremesa de paprika
- 1 colher de sobremesa de sal grosso
- 1 colher de café de pimenta preta moída
- 1 colher de café de coentros moídos (em  pó)
- 2 colheres de sopa de azeite

Preparação:
Misturar bem todos os ingredientes, à exceção do frango, até ficar uma pasta. Massajar todo o frango com a pasta e deixar a marinar de um dia para o outro, ou cerca de duas horas.
Levar ao forno pré-aquecido a 200º, tapado com papel de alumínio, aproximadamente 1:45 a 2 horas (se o frango for muito grande). Retirar o papel de alumínio a meia hora do tempo terminar para alourar a parte de cima. Acompanhar com arroz, batatas fritas, legumes cozidos ou salteados, saladas variadas, ou mesmo batata frita de pacote, para dias descomplicados. Bom fim de semana e pensem na vida!


17 Setembro 2014

Pudim De Coco Com Cuajada


Enquanto elaborei este "post", além de estar a enviar sms e mensagens pelo FB ao grupinho dos workshops da Lúcia e da Dulce, também me ri que nem uma perdida. Pois caí em mim, depois de ter tratado um polícia por: Oh amigo, mas é preciso fechar o trânsito por causa desta porcaria? (centenas de jovens penso que a divertirem-se com as praxes) Ele respondeu: E acha que eu também queria estar aqui em pé a fazer figura de parvo? Bem, a verdade é que o amigo saiu-me sem querer, e por causa disso fiz a minha irmã dar umas boas gargalhadas quando lhe telefonei a contar. Enfim, graçolas da vida, que a mim acontecem-me muito...

Ingredientes para 3 pessoas:
- 1 saquetas de cuajada Royal
- 150ml de leite (usei meio gordo) - usar um pouco mais de leite se gostarem do pudim mais cremoso
- 200ml de leite de coco
- 50g de açúcar (usei açúcar amarelo)
- 10g de coco ralado + para polvilhar depois de frio

Preparação:
Misturar bem a cuajada com cerca de metade do leite (não é necessário precisão, é apenas para dissolver a cuajada). Levar ao lume o restante leite com o leite de coco, o açúcar e o coco ralado, até levantar fervura. Adicionar entretanto a cuajada e deixar ao lume (não muito alto) até voltar a levantar fervura, sempre a mexer com a vara de arames. Quando levantar fervura retirar uns segundos do lume, mexer e voltar a colocar mais alguns minutos até engrossar. Dividir em 3 pequenas taças individuais e levar ao frigorífico até ganhar consistência e ficar bem fresco. Na hora de servir polvilhar com coco ralado. Aquele abraço!

15 Setembro 2014

Salada De Búzios Integrais Com Molho De Iogurte E Coentros


O Verão foi-se embora repentinamente. O sol, as cores, a alegria, as manhãs preguiçosas e as noites tardias, passaram a novas rotinas. Eu gosto do Outono, só não gosto que ele tenha vindo antes do tempo. Agora resta-me despedir à pressa das coisas boas que o Verão nos trás, para abrir de vez a porta ao Outono e às novas rotinas que também se encaixam na perfeição nestes dias cinzentos e instáveis.

Ingredientes para 3 pessoas:
- 200g de massa búzios integrais
- 75g de milho doce
- 1 bola de mozzarella de búfala cortada aos cubinhos
- 8 tomates cerejas cortados ao meio
- 1 cenoura ralada no crivo mais largo do ralador
- 1/4 pimento assado às tirinhas
Para o molho:
- 1 iogurte natural
- coentros frescos picados q.b.
- azeite q.b.
- sal fino q.b.
- pimenta moída q.b.
- sumo de limão q.b.

Preparação:
Cozer a massa em água a ferver e temperada de sal, até ficar "al dente". Escorrer e envolver com um fio de azeite. Misturar todos os ingredientes do molho e temperar a gosto. Empratar numa travessa grande dispondo a massa e depois os restantes ingredientes. Polvilhar com folhas de coentros frescos. Servir morno ou frio. Levar à mesa com o molho de iogurte. Bom apetite!

12 Setembro 2014

Panquecas De Chocolate, Mirtilos e Amoras Silvestres


Estas panquecas faziam parte de um pequeno almoço dos bons, daqueles que vemos nos filmes e nas novelas. Daqueles que prometi fazer todos ou quase todos os Sábados ao "piolho encardido". Bem, a verdade é que vida de blogger não é fácil, mas também vida de familiar de blogger não o é. Aqui em casa come-se a comida fria e às vezes eles merecem que eu mostre mais preocupação pela refeição deles, que a fotografia que quero mostrar ao mundo. Sobraram 2 panquecas e lá fui eu escondida tirar uma foto. Pois eles estavam esfomeados e atacaram a mesa, desmanchando todo o aprumo que fiz para captar a imagem. Pus o "piolho" a fazer as panquecas, para se entusiasmar a come-las, e claro com chocolate à mistura. E assim pude variar dos ovos mexidos, salsichas e bacon tostado que ele tanto adora.

Ingredientes para 5 panquecas:
- 200g de farinha de trigo com fermento 
- 1 colher de sopa cheia de chocolate em pó
- 3 colher de sopa de açúcar 
- 250ml de leite
- 1 ovo tamanho XL
- 1 chávena de mirtilos
- 1 chávena de amoras
- óleo alimentar para pincelar a frigideira q.b.
- açúcar em pó para polvilhar (opcional)

Preparação:
Peneirar a farinha e o chocolate para uma taça grande (ajuda a ficar sem grumos, mas pode ser dispensada esta fase). Adicionar o açúcar e misturar. Depois acrescentar o leite aos poucos e ir mexendo com a vara de arames. Adicionar o ovo e voltar a incorporar muito bem. Enquanto a mistura descansa, aquecer uma frigideira pequena (usei 20cm de diâmetro) pincelada com óleo e retirar o excesso com papel absorvente. Quando estiver bem quente, verter conchas de "sopa" deste preparado e distribuir alguns mirtilos e amoras. Quando começar a borbulhar está na altura de virar. Só se põe óleo na frigideira uma única vez. Repetir a operação até a massa ter terminado. Servir  polvilhado com açúcar em pó. Bom fim de semana!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...