29 julho 2015

Salada de ovas de bacalhau simples

Cá por casa gostamos todos de ovas. Costumo fazê-las de todas as maneiras e feitios, mas esqueço-me de fazer da maneira mais simples e que nos sabe tão bem. Nada de atalhos, é cozer as ovas, as batatas, colorir o prato com algo verde, azeite e vinagre e já está. Usei ovos de codorniz só para mimar o "piolho encardido" que adora ovos, e assim poder comer bastantes sem eu reclamar para não abusar dos ovos. Pedi-lhe ajuda na fotografia para não ter que pensar em adereços, e assim que virei costas para olhar para a máquina fotográfica, ele roubou algo da travessa, olhei de repente e diz que não tirou nada, mas tinha uma coisinha verde bem de lado na boca... Fartei-me de rir, raio do puto. 


28 julho 2015

Soufflé de lima e coco (para um desafio açoriano)

"Cozinha 100 Segredos" desafiou o mundo para uma receita, típica dos Açores ou não, mas forçosamente tinha de ser utilizado produtos dos Açores. Ora, eu sou uma mulher prática, dei uma olhadela na minha cozinha e achei leite e manteiga Terra Nostra, portando comecei a pensar a partir daí. Tinha umas limas, tinha um produto novo para experimentar, que é uma boa alternativa às natas normais e à base de coco, e para não parecer tão fácil, compliquei fazendo um soufflé, que tanto podia correr bem, como mal. Correu bem, ficou muito guloso, cresceu e antes que descesse, como é normal dos soufflés, fui a correr para a minha varanda para captar a imagem. E ufa, não foi nada fácil, mas está feito, missão cumprida.




27 julho 2015

Gelado de café e canela

Estava prometido um gelado de café. E o prometido é devido. Juntei-lhe mais umas coisas boas para ter a certeza que não iria haver reclamações. Foi à pressa que desajeitadamente pus o chocolate que ainda não estava bem arrefecido e as amêndoas e rapidamente tirei uma fotografia, com a malta na sala a reclamar pela sobremesa. Vida de bloguer não é nada fácil... nada mesmo.

23 julho 2015

Pernas de frango no forno com gengibre, salsa e manjericão seco (e outras coisas boas)

Estava aqui a pensar com os meus botões e em mim. No que fui, no que sou e me tornei. Cheguei à conclusão que serei sempre assim, nunca mudei, apenas limei uns detalhes da minha personalidade. Uma menina insegura, ingénua, com sonhos utópicos, e que ainda acha que pode mudar o mundo. Apesar de ter crescido e descoberto que não posso mudar o mundo, apenas o meu mundo. E no meu mundo espero encontrar aquilo que sempre quis, pessoas transparentes, bonitas por dentro, que queiram aproveitar a vida tão bem quanto eu, e que se tiverem alguma coisa para me dizer, que mo digam cara a cara, pois só assim eu posso emendar os meus erros. Basta de me fazerem mal, de nem sequer me darem oportunidade para me justificar, quando eu serei sempre uma pessoa com bom coração. Tenho defeitos e muitos, mas não ultrapassam as coisas boas que tenho para dar a todos. Hoje dei comigo a pensar nisto, nos mal entendidos e nos recadinhos. Mereço? Não me parece. O que me parece realmente é que passo a vida a dar "pérolas a porcos", como se costuma dizer. Isto é um desabafo muito pessoal, como se eu não o tivesse dito. Não se sintam atingidos, pois os meus leitores merecem tudo, até saberem o que sinto em determinados dias, mesmo que não sejam coisas bonitas de se ler. O mundo também é assim, feio e triste. Uma abraço a todos/as.

22 julho 2015

Bola (com açafrão e manjericão) de frango

A família Sousa adora sair à noite no verão, jantar às tantas e quebrar todas as regras. Todos os verões são assim cá por casa. Ainda onteontem fiz pizza para o lanche e depois ao jantar ninguém tinha fome. Fomos para a rua e quando demos por nós eram onze horas. O que quer dizer que jantámos mesmo tarde. Sentir-mo-nos livres, sermos loucos e fazermos o que nos der na telha também é bom para a saúde mental, e sei que pelo menos uma parte do verão posso me sentir assim. Livre. Sem horários, sem regras e virar tudo do avesso se bem entender. No fundo, serei sempre uma rebelde, que a idade tentou disfarçar, que a idade ajuizou, mas que ainda vive dentro de mim, e eu deixo-a sair para fora nesta época. 

21 julho 2015

Salame de chocolate (com leite condensado e sem ovos)

Um destes fins de semana recebi uma visita tão boa de uns amigos bem especiais. E claro, fui logo para a cozinha fazer um miminho para recebe-los. Pensei num salame, pois a criançada gosta sempre, bem, afinal há um rapazinho que eu não sabia que não gostava de chocolate. Nem sempre consigo acertar, mas a minha intenção é sempre boa. E como estamos no verão, e havia também uma grávida, o salame foi obviamente sem ovos. Esta é uma forma mais pegajosa de fazer salame, e não pensem em pôr as mãos na massa, porque vão ficar com ela colada nas mãos e será só desperdício. Eu gosto muito de ter opções, portanto cá vai mais uma forma de fazer salame aqui no blogue.

20 julho 2015

Bacalhau cru desfiado com alhos, coentros e azeitonas

Lá por casa às vezes reclamam que eu não repito as receitas e que há muitas no blogue que nunca mais fiz. Eu acharei sempre que eles estão errados e têm falta de memória também. Esquecem que o dia só tem 24 horas e o mês 30 dias, e mesmo que eu viva até aos 100 anos, nunca poderei fazer todas as receitas do mundo. Sou, ou aliás, considero-me uma pessoa bastante equilibrada, e sei que repito muitas vezes as receitas e faço outras tantas novas, pois só assim posso praticar e melhorar, caso disso, é esta que hoje partilho, mais uma forma simples de temperar este petisco que continuo a considerar muito agradável.


15 julho 2015

Creme de laranja (sem ovos) com framboesas e mirtilos

Um dias destes lá em casa, o "mais-que-tudo" queria uma sobremesa. Como não havia, decidiu inventar, mas mal, claro. Abriu uma lata de polpa de manga e misturou com iogurte natural, e parecia mais uma sopa de manga que uma sobremesa, porque não fez o equilíbrio certo nas dosagens. Lá comeu, mas reclamando que não estava nada bom. Uns dias depois decidi pôr-me à prova e fazer uma sobremesa rápida, daquelas que fazem um certo figurão, mas pateticamente fáceis de fazer. Pensei em leite creme, mas nessa semana comemos ovos noutras receitas, e pus logo de parte a hipótese de usar ovos. Como sou do tempo das papas de farinha torrada, porque não um creme de laranja, sem ovos e com farinha para engrossar? Eu acho que ficou bem saboroso.

14 julho 2015

Caril de (tiras de) peru

Depois de mais um fim de semana bem agradável, em que já só se contam os dias que faltam para as férias em conjunto, nada como iniciar a semana com um caril. Um caril que já foi feito à imenso tempo, mas que nunca passa de moda. Quem gosta de cozinhar como eu, tem sempre em casa de reserva  algumas especiarias que eu chamo de "safa refeições" e leite ou creme de coco, que foi o que utilizei para este caril que o quis mais cremoso desta vez. Acho que não preciso de dizer mais nada. Com algumas especiarias, uma proteína (mesmo ainda que seja peru que é uma carne mais seca) e arroz basmati a acompanhar, serve-se uma refeição bem saborosa. Complicar para quê?

10 julho 2015

Gelado de baunilha com creme de limão

Havia leite condensado, havia natas e havia bons aromas para juntar a um geladinho. O que é que se quer mais? Tenho a malta lá em casa mal habituada e não tenho outro remédio que ir para cozinha fazer coisas boas para os ver felizes. Estou cá para isso e muito mais. Bom fim de semana!


07 julho 2015

Caracoletas assadas com molho de manteiga, mostarda e salsa seca

Hoje sai mais um petisco da minha cozinha. Pode fazer alguma impressão a cozinhar, mas temos de ser duros, como dizia o outro. Mas não se preocupem que quando puserem as caracoletas no grelhador, não as vão ver a fugir a todo o vapor, é para isso que as colocamos primeiro no sal grosso  para elas irem para dentro. Aconselho a não as deixarem no sal demasiado tempo, pois se o fizerem, elas ainda produzirão mais viscosidade, apenas deixem o tempo suficiente para elas recolherem. Se bem que dizem que esse é o truque, mas eu dispenso essa parte, pelo menos em casa. Gosto de ir pincelando com o molho quando estão a grelhar, mas se preferirem, sirvam-no à parte.


06 julho 2015

Bacalhau crú desfiado com molho de 3 pimentos

Este fim de semana foi mais caseiro, a contrastar com o anterior que não parei em casa. Tratei da casa, das limpezas, vimos filmes no sofá com direito a pipocas, lanchámos num dia e no outro almoçámos fora depois da natação, brincámos e preguiçámos muito e eu ainda tive direito a uma soneca ontem. Eu na companhia do "piolho encardido", enquanto o "mais-que-tudo" esteve no curso o fim de semana inteiro. Mas não seja por isso, mesmo que só os dois temos direito a tudo. Pensando bem, até foi um fim de semana simpático. Hoje confesso que estou cansada, pois que este "piolho" tem muita energia e quando não há pai em casa, não podemos trocar de turno :). Para compor o almoço de sábado decidi dar a conhecer ao "piolho" este prato de bacalhau crú, que tantas vezes comi na minha infância, embora sem os pimentos. Estava na dúvida se ele ia gostar, mas como sempre, este puto "bem treinado" adorou, e cheira-me que vai ser um "bom vivant", a julgar pelo vejo. Uma entrada, um petisco a juntar a outros para compor a mesa, ou simplesmente matar das saudades de casa, e o melhor é que não é preciso usar o fogão.

03 julho 2015

Gaspacho alentejano

Eu prefiro gaspacho assim, já ele gosta mesmo é do alentejano. Depois de quase um mês a pedinchar-me, ontem foi dia de lhe fazer a vontade. Bem fresquinho, bem temperado, bem económico e bem fácil de fazer, com a maioria dos ingredientes que temos sempre em casa. Tenho impressão que lhe vou fazer mais vezes este verão. Agora um reparo, sabem que desde que tiro a casca ao pepino, tenho menos problemas com a digestão e não só? Toda a vida deixei um pouco da casca, porque toda a gente dizia que se devia fazer assim, mas eu cá acho que temos de pensar pela nossa própria cabeça, experimentar o "outro lado" e descobrir o que realmente nos faz melhor.


01 julho 2015

Conchas gigantes recheadas com frango e courgette

Já há muito tempo que não fazia conchas recheadas. O puto adora estas massas gigantes recheadas com qualquer coisa, "salpicadas" com queijo ralado e forno com elas. Não tem nada de transcendente fazê-las, é pôr mãos à obra e rapidamente recebo um sorriso e um obrigada pelo prato que lhe fiz. É verdade, este puto agradece-me sempre quando faço um prato que ele gosta, de uma forma muito carinhosa, que eu acho mesmo que não era preciso. Pois eu estou cá para isso! Para o ajudar a construir memórias, sejam elas de comida, lugares, experiências novas e tudo de bom que eu e o pai lhe pudermos mostrar.















30 junho 2015

Salada mista de atum com molho de iogurte e coentros

Não há qualquer dificuldade para mim, preparar refeições rápidas e que agradem lá em casa. Eles adoram estas saladas em que cada um serve o que gosta. Há sempre tanta dúvida na escolha, mas a piada é que acabam por colocar um pouquinho de tudo no prato e depois adoram finalizar com este molho bem simpático de iogurte que substitui os molhos de maionese. Mas hoje especialmente escolhi esta salada para mimar duas leitoras que ontem não simpatizaram tanto com as lulas. Estamos no verão, queremos pratos mais leves e práticos e espero bem que elas apreciem, senão fica para amanhã outra receita até elas estarem contentes, porque da minha mesa ninguém pode sair insatisfeito.


29 junho 2015

Espetadas de lulas com pimentos e tomate cereja

Um destes dias, daqueles em que as gavetas do congelador vão ficando quase vazias, decidi que era altura de utilizar as lulas congeladas que foram ficando para trás. Como sempre, decido tudo à última da hora, e até serem transformadas em espetadas, passaram por lulas recheadas, grelhadas ou em jardineira. Lá em casa tenho um grande apreciador de lulas, por isso fiz os possíveis  para animar e colorir esta refeição. Embora sejam pequenas e não tão boas como as grandes e frescas, a vontade de agradar era maior, e acho que não me sai nada mal, porque às vezes menos é mais. Complicar para quê?


26 junho 2015

Mousse De Creme De Limão

E que bom que é receber um sms logo pela manhã cedo de uma das minhas amigas de longa data, a Lena. Pois que sonhou que eu tinha ganho uma estrela Michelin e que lhe tinha dito que agora a minha vida fazia sentido. É claro que foi um mimo tão bom, ela me incluir nos seus sonhos e ainda por cima escolher um final tão feliz para mim. É claro que eu tinha de estudar muito, comer muita açorda e pão com codea para algum dia isso acontecer. É claro que nesta fase da minha vida eu não sonho com isso, nem faço por isso, porque não sou assim tão segura de mim e não me acho assim tão boa. Mas é claro que o que me interessa, é que eu tenho poucas mas boas amizades, e ao fim de tantos anos, elas ainda me querem tão bem e nunca me desiludem. Obrigada miúdas! Obrigada Lena, Monica e Patrícia. Apesar de vocês nem se terem apercebido, este ano fizeram-me acreditar de novo no Mundo, e voltar a abrir o meu coração para a humanidade, e se há coisa que eu não abro mão é de vocês! Hoje a sobremesa é para elas, como prova da minha amizade, e apesar de me ter "perdido por ai", elas fizeram-me voltar e a minha amizade será sempre transparente e sem cobranças, tal como devem ser as amizades. E hoje pareço um peru inchado, bem recheado com amizade.


24 junho 2015

Truta salmonada em papelote com sementes de funcho

Ao fim de semana gosto sempre de pôr um grande peixe no forno, e assim receber o "mais-que-tudo" para jantar à vinda do seu novo curso. Chegue a que horas chegue, eu e o "piolho encardido" esperamos pacientemente por ele, enquanto me vai enviado sms a contar os minutos que demora. Para poder dar toda a atenção ao "piolho", o jantar tem de ser prático e nada melhor que o forno sair limpo no final. Qualquer peixe ao sal ou em papelote é perfeito para mim. Acompanhámos com um cuscuz simples e bem aromatizado com várias especiarias.


23 junho 2015

Gelados de framboesas com iogurte grego

Têm saído muitos gelados da minha cozinha. A malta lá de casa já está a ficar muito mal habituada, e a culpa divide-se por todos. É minha porque adoro mima-los, e deles porque adoram come-los e experimentar novas combinações, e ficam tão contentes quando eu digo que tem gelado novo para provar. No meio de tanta caloria de natas, tenho de ser razoável e intercalar com uns gelados mais leves. Iogurte e framboesas, tão bom... Se preferirem um pouco mais saudáveis não juntem açúcar, nem mel, embora eu ache que o gelado docinho sabe bem melhor. Fica ao critério de cada um.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...